Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 8 de março de 2021
SADER_FULL
Busca
MUNICÍPIOS

Ivinhema e Angélica vão construir aterro sanitário

18 Jan 2011 - 06h57Por Da Redação -Fátima News

Ivinhema e Angélica vão construir aterro sanitário

 

 

Prefeituras das duas cidades e o Grupo Adecoagro já receberam a Licença Prévia e agora aguardam a liberação da Licença de Implantação para iniciarem a obra.

 

 

Os municípios de Ivinhema e Angélica, juntamente com o Grupo Adecoagro – que possui uma unidade no MS, a Angélica Agroenergia e outra que será implantada nos próximos anos, já estão desenvolvendo projeto de instalação de um aterro sanitário para dar fim aos resíduos sólidos urbanos das duas cidades.

 

 

Conforme o diretor da Fundação Municipal do Meio Ambiente e Turismo de Ivinhema (Fumatur), Paulo Cezar Tamanini, o Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) concedeu a Licença Prévia e agora é esperada a Licença de Implantação, o que autoriza o inicio da obra. O aterro será implantado na Rodovia MS 141 Angélica/Ivinhema, na Gleba Piravevê, com área de 13,86 hectares e sua vida útil é de aproximadamente 20 anos.

 

 

Também será realizado o Plano de Recuperação de Área Degradada (PRAD) para o atual lixão, sujeito a avaliação e aprovação do IMASUL, onde serão propostas medidas para cessar os impactos ambientais na área.

 

 

No dia 20 de maio de 2010 foi protocolado junto ao Imassul, o pedido da Licença de Implantação, sob o número 23/160/36/20. O diretor da Fumatur explica que estão sendo feitos todos os procedimentos legais. “O nosso trabalho está em andamento e totalmente de acordo com os tramites que a Legislação do Meio Ambiente exige para uma obra como esta”.

 

 

A implantação do aterro sanitário é de extrema importância, pois entre os benefícios, impede a contaminação do solo, das águas superficiais e subterrâneas. “Um aterro operado corretamente não emite odores e ruídos além dos limites do terreno, pois conta com diversas técnicas da engenharia, evitando assim quaisquer transtornos a população.

 

 

Para o prefeito Renato Câmara as futuras gerações serão as maiores beneficiárias deste projeto, pois terão um meio ambiente melhor protegido. “Além de não poluir, essa obra melhora a qualidade de vida da população, traz benefícios para a saúde pública e ainda resolve o atual problema dos lixões”.

 

 

As parcerias para a viabilização deste projeto é destacada pelo prefeito de Angélica, João Cassuci. "A construção do aterro surgiu da necessidade de uma gestão ambiental eficiente. Diante do alto custo de manutenção de um aterro, só é possível devido à boa relação que temos com o município vizinho e com o Grupo Adecoagro”.

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

100 UTI = OBITO
Ministério da Saúde prevê 3 mil mortes por dia por covid-19 nas próximas duas semanas
TRISTEZA NA FAMILIA
'Não tem UTI,amo vcs':a história por trás do tuíte viral que revela mensagens de mãe morta por covid
DISPARO ACIDENTAL
Assessor em fazenda do cantor Leonardo morre vitima de tiro acidental
VIOLENCIA DOMESTICA
Vítima de violência doméstica escreve bilhete com pedido SOS em agência bancária: 'Ele tá ai fora'
ALERTA AO CPF
Confira se o seu CPF foi usado de maneira IRREGULAR por desconhecidos
VAMOS PREVENIR
Igreja Adventista vota documento com orientações sobre cultos e reuniões
ALERTA AOS JOVENS
O que está por trás da alta das internações de jovens com covid
BRASIL EM PÂNICO
Brasil tem novo recorde de mortes por covid em 24 horas: 1.910
100 TRÉGUA
Brasil registra 1.726 mortes em 24 horas e bate novo recorde na pandemia; total chega a 257,5 mil
EXECUÇÃO NA MADRUGADA
Dona de bar é degolada e corpo encontrado nos fundos do estabelecimento