Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 13 de abril de 2021
BANNER EMAGRECEDOR VICENTINA
Busca
Brasil

Intel lança linha de chips com recurso de segurança

4 Out 2004 - 16h29
A Intel lançou no domingo uma nova linha de processadores, que usa uma tecnologia chamada EDB (Execute Disable Bit). O recurso tem o objetivo de aumentar a segurança dos PCs e impede que alguns programas --como vírus-- sejam executados automaticamente no computador

Ela é usada pelo Windows XP, desde que ele seja atualizado com Service Pack 2. Outras fabricantes de chips, como a AMD e a Transmeta, já vendem processadores equipados com essa tecnologia.

Os chips da Intel que contarem com a tecnologia serão identificados por uma letra J após o número do modelo.

Entre os modelos que já contam com a nova tecnologia estão o Pentium 4 520J, 530J, 540J, 550J e 560J. Eles custarão, respectivamente, US$ 163, US$ 178, US$ 218, US$ 278 e US$ 417. Os preços são os mesmos dos chips que não contam como o novo recurso de segurança, de acordo com o site "The Register" (www.theregister.co.uk).
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo