Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 27 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Integrar sistemas e redes em favor de crianças e adolescentes é desafio no Brasil

7 Mai 2011 - 10h05Por Agência Brasil

A secretária nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, Carmem Silveira, afirmou ontem (6) que integrar sistemas como o Cadastro Nacional de Adoção e o Cadastro de Crianças e Adolescentes Desaparecidos é um dos desafios a serem enfrentados no país.

Aproximar redes sociais em prol da infância e da juventude também deve ser um dos focos de ação.

Ao participar da cerimônia de abertura do seminário Direito à Convivência Familiar e Comunitária em Foco, Carmem explicou que a atuação de promotores na ponta depende de uma proximidade maior entre as polícias, o Ministério da Justiça e os movimentos sociais, por exemplo.

Para a secretária, é preciso que o país reveja também o que chamou de cultura do abrigamento.

Segundo ela, a retirada da criança ou do adolescente do ambiente familiar só deve ocorrer em casos excepcionais, mas os critérios precisam ficar mais claros perante juízes e promotores.

Outro destaque apontado pela representante da Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH) é o foco na paternidade e não apenas na maternidade. Durante o evento, ela fez referências ao programa Rede Cegonha, do governo federal, e lembrou que não há ações que promovam a atenção e o cuidado na relação pai-filho.

De acordo com Carmem, é preciso enfrentar ainda o problema relacionado ao abrigamento de meninas em situação de exploração sexual.

Muitos locais, segundo ela, dificultam a entrada dessas crianças e adolescentes por acreditar que elas poderiam contaminar o ambiente ou transformá-lo em prostíbulo.

A estimativa da SEDH é que cerca de 50 mil menores vivam atualmente em abrigos e que 24 mil sobrevivem nas ruas.

A secretária revelou que a pasta está preparando um protocolo específico para atender crianças e adolescentes vítimas de desastres naturais no país e também uma campanha para a chamada adoção possível – que envolve crianças mais velhas, negras ou com algum tipo de deficiência.

O lançamento está previsto para o próximo dia 24 no Palácio do Planalto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TURISMO 2021
Turismo 2021: O que esperar do Turismo Brasileiro no próximo ano?
SUA SAÚDE
Carnes de bichos selvagens podem transmitir parasitas, vírus e até matar
SEU BOLSO
Petrobras reajusta gasolina e diesel em 5% a partir desta quarta-feira
SONHOS INTERROMPIDOS
Pais perdem filho de 7 anos em tragédia na BR-376: "Passaram o dia montando a casa para receber ele"
AUXILIO POPULAÇÃO
Governo federal aprova auxílio emergencial para 196 mil pessoas
UTI LOTADAS
13 crianças com covid estão em estado grave em Cuiabá
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mãe descobre estupro ao desconfiar que filha de 12 anos tinha ciúmes do padrasto
VIRUS A SOLTA
Caixão com corpo que tinha identificação de risco biológico por Covid é achado em estrada
TRAGEDIA NA RODOVIA
Jovem fez vídeo antes de morrer em acidente no Paraná: 'Devagar, motora'
FATALIDADE
Padre cai de pedra em cachoeira e corpo é encontrado em poço