Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 1 de abril de 2020
SADER_FULL
Busca
MEDICAL CENTER - POLONIO
Brasil

Inmetro vai apertar o cerco às oficinas de conversão a gás

30 Jun 2004 - 15h18

A partir de 1º de julho os fiscais do Inmetro em Mato Grosso do Sul e outros 14 Estados vão iniciar uma fiscalização rigorosa nas 670 empresas no País que fazem a conversão de motores para gás natural e só poderão ser comercializados os kits básicos de GNV (Gás Natural Veicular) com selo do órgão. A medida foi tomada depois que engenheiros mecânicos constataram que, ao contrário do que se pensava, carros movidos a gás natural podem poluir muito o meio ambiente.

Por isso, a partir de amanhã só os equipamentos com os selos de certificação do Inmetro, garantindo o funcionamento dos equipamentos, e do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente), garantindo a qualidade do ar, poderão ser usados nos automóveis. Conforme constatação das autoridades, os kits de gás natural variam entre R$ 1,5 mil e R$ 3 mil, sendo que os mais baratos, conhecidos como kits básicos, são os mais poluentes.

Na comparação entre dois carros movidos a gás natural, tendo um o kit completo e o outro um kit sem os componentes que controlam a saída dos gases, foi constatado por equipamento que faz a medição dos gases lançados no meio ambiente que o segundo veículo poluía mais o ar. Com o kit completo, todos os níveis ficam dentro do determinado pelo Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), enquanto no kit básico o índice de combustível não queimado, que deveria ser de no máximo 100 partículas, ficou em 188, sendo que o nível de monóxido de carbono ficou praticamente dez vezes a mais em termos percentuais, de volume de descarga.

O técnico-metrológico do Inmetro, Sérgio Maia Miranda, revela que os equipamentos já instalados não serão trocados, mas a nova remeça tem por obrigação constar os selos de certificação do Inmetro e do Conama. “Os equipamentos já existentes poderão permanecer, mas no caso de problemas deverão ser substituídos pelo estabelecimento que realizou a instalação”, enfatizou Miranda, explicando que, a partir de agora, para serem aprovados nas vistorias dos Detrans (Departamentos Estaduais de Trânsito) os carros que já são movidos a gás também vão precisar estar dentro dos critérios do Ibama. Com informações do Jornal Nacional, da Rede Globo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL 2019
Relembre os principais momentos esportivos do Brasil em 2019
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Governo abre inscrições para contratar 751 profissionais de saúde em MT
BRASIL - 175 MORTOS
Casos de coronavírus no Brasil em 31 de março
SEQUESTRO
Depois de quase 3 horas, homem que fazia ex-esposa de refém se entrega
DOURADOS - COMÉRCIO CONTINUARÁ FECHADO
Sem acordo, Délia diz que comércio continuará fechado na 2ª maior cidade do Estado de MS
JATEÍ - AÇÃO SOCIAL
JATEÍ: Detentas doam seus cabelos para pacientes com câncer do Hospital do Câncer de Barreto
SEU BOLSO
FGTS: trabalhador tem até hoje para fazer saque de até R$ 998
COVID-19
VÍDEO: Com irmão internado, cantor Mariano está assintomático para o novo coronavírus
NO LIMITE
"A gente já chegou no limite", diz Bolsonaro sobre economia do país
SHOW HUMANIZADO
Com 5 horas de live, Gusttavo Lima arrecada 100 mil para combater o Covid-19