Menu
SADER_FULL
sábado, 6 de março de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Inflação da baixa renda avança 1,40% em janeiro

11 Fev 2011 - 09h32Por Veja
A inflação sentida por famílias de baixa renda quase dobrou em janeiro, informou nesta sexta-feira a Fundação Getúlio Vargas. O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1), usado para mensurar o impacto da movimentação de preços entre famílias com renda mensal entre 1 e 2,5 salários mínimos, avançou 1,40% no mês passado, após mostrar alta de 0,86% em dezembro. Com o resultado, o índice acumula alta de 7,41% em 12 meses.

Acervo Digital VEJA: Inflação, um dragão que o país luta para manter adormecido


A taxa do IPC-C1 em janeiro ficou acima da inflação média apurada entre famílias com ganhos maiores, que têm renda mensal entre 1 e 33 salários mínimos, conforme o Índice de Preços ao Consumidor - Brasil (IPC-BR). O indicador mostrou alta de preços de 1,27% em janeiro. A taxa de inflação acumulada em 12 meses do IPC-C1 também se posicionou acima da apurada para o mesmo período pelo IPC-BR, que subiu 6,21%.

Das sete classes de despesa usadas para cálculo do IPC-C1, apenas duas apresentaram acréscimos em suas taxas de variação de preços de dezembro para janeiro. É o caso de Educação, Leitura e Recreação (de 0,02% para 3,51%) e Transportes (de 0,13% para 5,11%). Os dois grupos sofreram os impactos, respectivamente, dos reajustes nos preços de tarifa de ônibus urbano (5,52%) e curso de educação infantil pré-escolar (8,43%) em janeiro.

Os cinco grupos restantes apresentaram desaceleração de preços. É o caso de Alimentação (de 1,43% para 1,32%), Habitação (de 0,35% para 0,26%), Vestuário (de 1,42% para 0,06%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,73% para 0,27%) e Despesas Diversas (de 0,59% para 0,45%).

A FGV informou ainda que, em janeiro, entre os produtos pesquisados para cálculo do IPC-C1, as mais expressivas elevações de preços foram detectadas na já citada tarifa de ônibus urbano, no tomate (39,30%) e na cenoura (32,78%). Já as mais expressivas quedas foram registradas em limão (recuo de 27,44%), feijão carioquinha (baixa de 14,16%) e acém (queda de 2,27%).

Deixe seu Comentário

Leia Também

100 UTI = OBITO
Ministério da Saúde prevê 3 mil mortes por dia por covid-19 nas próximas duas semanas
TRISTEZA NA FAMILIA
'Não tem UTI,amo vcs':a história por trás do tuíte viral que revela mensagens de mãe morta por covid
DISPARO ACIDENTAL
Assessor em fazenda do cantor Leonardo morre vitima de tiro acidental
VIOLENCIA DOMESTICA
Vítima de violência doméstica escreve bilhete com pedido SOS em agência bancária: 'Ele tá ai fora'
ALERTA AO CPF
Confira se o seu CPF foi usado de maneira IRREGULAR por desconhecidos
VAMOS PREVENIR
Igreja Adventista vota documento com orientações sobre cultos e reuniões
ALERTA AOS JOVENS
O que está por trás da alta das internações de jovens com covid
BRASIL EM PÂNICO
Brasil tem novo recorde de mortes por covid em 24 horas: 1.910
100 TRÉGUA
Brasil registra 1.726 mortes em 24 horas e bate novo recorde na pandemia; total chega a 257,5 mil
EXECUÇÃO NA MADRUGADA
Dona de bar é degolada e corpo encontrado nos fundos do estabelecimento