Menu
SADER_FULL
quarta, 22 de setembro de 2021
Busca
Brasil

Industriários de MS querem aumento real em fevereiro

11 Jan 2011 - 11h10Por Assessoria

Os empregados em laticínios, indústrias de carnes, frios e derivados e em alimentação em geral de Mato Grosso do Sul querem aumento real, acima da inflação, em seus vencimentos a partir de 1º de fevereiro, data base das categorias. A informação é de Rinaldo de Souza Salomão, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins de Campo Grande e Região- STIAA/CG.

A entidade está negociando com a classe patronal esse e outros benefícios para os trabalhadores. Rinaldo Salomão disse que as indústrias de alimentação e afins de MS aumentaram o preço de seus produtos ao consumidor em média até 13% em 2010 e que um aumento também para o salário de seus empregados seria “perfeitamente possível também agora”, justificou.

Rinaldo Salomão foi mais longe, disse que a inflação em Mato Grosso do Sul foi bastante acentuada nos últimos meses exatamente por conta dos aumentos que produtos de uso e consumo tiveram no mercado. “O consumidor passou a pagar mais caro por diversos produtos como carne, leite, pão e outros alimentos”, explicou. Para o sindicalista, os números oficiais da inflação não são reais, ou seja, estão abaixo do que realmente representaram para o consumidor sulmatogrossense.

Deixe seu Comentário

Leia Também

HOMICIDIO X SUICÍDIO
Marido mata esposa e tira própria vida; criança de 3 anos pede socorro a vizinho
NEGLIGÊNCIA
Criança de 2 anos ao volante mata prima de 3 anos atropelada
CARROS SEMINOVOS
Como fazer uma boa escolha de veículos seminovos
LUTO NA TV
Ator Luis Gustavo morre aos 87 anos, vítima de câncer
EM DECLINIO
Covid-19: Brasil registra 21,2 milhões de casos e 590,7 mil mortes
TSUNAMI NO BRASIL?
Brasil pode ser atingido por tsunami; entenda
SERPENTE
Rapaz de 18 anos é atacado por jararaca durante pescaria
TRIBUNAL DO CRIME
Traficantes enterram mulher viva para vingar denúncia
TEMPESTADE
Temporal derruba árvore sobre carros e deixa bairros no escuro
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: ministério registra 34,4 mil casos e 643 mortes em 24 horas