Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 13 de maio de 2021
Busca
Brasil

Impasse entre Brasil e Argentina adia discussão

16 Jul 2004 - 13h23

Um impasse entre o Brasil e a Argentina adiou a discussão sobre a venda de máquinas de lavar roupa brasileiras em território argentino. A informação foi dada pelo secretário executivo do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Márcio Fortes.

Segundo dados dos negociadores, o Brasil quer ter garantido para si 46% do mercado argentino de máquinas de lavar roupa, enquanto a Argentina oferece 35% do mercado apenas para os brasileiros. O Brasil estaria ainda interessado em uma porção (2% a 3% do mercado) dos outros 11% que a Argentina oferece a outros países que não o Brasil.

Os argentinos são cautelosos e preferem não falar em números, que devem ser apresentados na semana que vem. O governo argentino também quer fazer uma proposta para um período de seis meses e, depois disso, fazer uma renegociação.

Depois de mais de dez horas de reuniões, foi assinado o acordo que limita a importação de geladeiras e fogões fabricados no Brasil. Nos dois casos, o Brasil aceitou reduzir bruscamente o total de mercadorias enviadas ao país vizinho com a observação de que o país poderá aumentar as vendas caso as fábricas argentinas não consigam atender seu próprio mercado.

"Nosso objetivo é ajudar a recuperação da indústria argentina", afirmou Fortes.

Convite

Segundo o secretário, o Brasil deixou claro nos documentos assinados até agora que não permitirá que outros países ocupem o mercado que até agora vinha sendo utilizado pelo Brasil.

Fortes informou ainda que o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, convidou o ministro da Economia, Roberto Lavagna, para se reunir com ele e com o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, no próximo dia 22 em Brasília.

Eles vão discutir a integração entre os países e tentar evitar possíveis disputas comerciais que já estão sendo previstas por autoridades dos dois governos.

Entre elas estão a importação de máquinas agrícolas e automóveis fabricados no Brasil que são vendidos na Argentina.

Fortes disse que o Brasil ainda está analisando juridicamente o decreto que está prestes a ser assinado pela Argentina impondo uma taxa extra de 21% para as televisões fabricadas na Zona Franca de Manaus no Brasil.

O acordo com os fogões estipulou que o Brasil enviará ainda este ano 33 mil unidades do produto para a Argentina.

No primeiro semestre do ano que vem, serão 47,5 mil. Para depois, há mais negociações previstas. A cota para geladeiras ficou fixada entre 20 de julho e 30 de setembro em 42,7 mil unidades. Os números são muito inferiores ao registrados nos últimos três anos.

 

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul