Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 15 de julho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Impasse entre Brasil e Argentina adia discussão

16 Jul 2004 - 13h23

Um impasse entre o Brasil e a Argentina adiou a discussão sobre a venda de máquinas de lavar roupa brasileiras em território argentino. A informação foi dada pelo secretário executivo do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Márcio Fortes.

Segundo dados dos negociadores, o Brasil quer ter garantido para si 46% do mercado argentino de máquinas de lavar roupa, enquanto a Argentina oferece 35% do mercado apenas para os brasileiros. O Brasil estaria ainda interessado em uma porção (2% a 3% do mercado) dos outros 11% que a Argentina oferece a outros países que não o Brasil.

Os argentinos são cautelosos e preferem não falar em números, que devem ser apresentados na semana que vem. O governo argentino também quer fazer uma proposta para um período de seis meses e, depois disso, fazer uma renegociação.

Depois de mais de dez horas de reuniões, foi assinado o acordo que limita a importação de geladeiras e fogões fabricados no Brasil. Nos dois casos, o Brasil aceitou reduzir bruscamente o total de mercadorias enviadas ao país vizinho com a observação de que o país poderá aumentar as vendas caso as fábricas argentinas não consigam atender seu próprio mercado.

"Nosso objetivo é ajudar a recuperação da indústria argentina", afirmou Fortes.

Convite

Segundo o secretário, o Brasil deixou claro nos documentos assinados até agora que não permitirá que outros países ocupem o mercado que até agora vinha sendo utilizado pelo Brasil.

Fortes informou ainda que o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, convidou o ministro da Economia, Roberto Lavagna, para se reunir com ele e com o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, no próximo dia 22 em Brasília.

Eles vão discutir a integração entre os países e tentar evitar possíveis disputas comerciais que já estão sendo previstas por autoridades dos dois governos.

Entre elas estão a importação de máquinas agrícolas e automóveis fabricados no Brasil que são vendidos na Argentina.

Fortes disse que o Brasil ainda está analisando juridicamente o decreto que está prestes a ser assinado pela Argentina impondo uma taxa extra de 21% para as televisões fabricadas na Zona Franca de Manaus no Brasil.

O acordo com os fogões estipulou que o Brasil enviará ainda este ano 33 mil unidades do produto para a Argentina.

No primeiro semestre do ano que vem, serão 47,5 mil. Para depois, há mais negociações previstas. A cota para geladeiras ficou fixada entre 20 de julho e 30 de setembro em 42,7 mil unidades. Os números são muito inferiores ao registrados nos últimos três anos.

 

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

FATALIDADE
Instrutor de tiros morre após disparo acidental contra o próprio peito no dia do aniversário
TRUCULENCIA
'Achei que iria morrer sufocada como George Floyd', diz mulher negra que teve pescoço pisado por PM
AUXILIO EMERGENCIAL
Liberados saques e transferências para aprovados no 3º lote
VITIMA DA COVID 19
Cantor morre de covid-19 após sogro e sogra; esposa está em isolamento
CAOS NA SAUDE
MT está perdendo a guerra para o coronavírus; nós subestimamos a doença
TRAGEDIA NO CONDOMÍNIO
Adolescente que matou amiga treina tiro esportiva há 3 anos com o pai
VIOLENCIA DOMESTICA
Mulher tem rosto desfigurado após ser agredida e pisoteada pelo marido bêbado
CORONAVIRUS AVANÇA
Brasil tem 72.234 mortes por Covid-19, segundo consórcio de veículos da imprensa em boletim das 13h
BONITO - DICAS AGÊNCIA
Como fazer Snorkel em Bonito MS, o que ver, o que fazer e o que não!
PANDEMIA CORONAVIRUS
Filho de ex-jogador famoso vende geleias e não vê o pai há nove anos