Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 28 de maio de 2024
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Busca
MORTANDADE

Imasul confirma decoada como causa mais provável da mortandade de peixes em MS

8 Fev 2011 - 07h02Por Midia Max

A causa mais provável da mortandade de peixes na bacia do rio Negro, no município de Aquidauana, é o fenômeno natural da decoada. A informação foi repassada por técnicos do Instituto de Meio Ambiente (Imasul), órgão estadual de gestão das políticas ambientais.

O relatório preliminar baseou-se em análises de amostras retiradas do leito de duas baías adjacentes ao rio, na tarde de 31 de janeiro. Os pesquisadores atribuíram a mortalidade de peixes a dois fatores principais: concentração de oxigênio dissolvido na água em taxas de 0,2 a 2,6 mgO²/L (sendo que valores inferiores a 2 podem provocar morte de peixes); além da temperatura elevada.

A equipe que visitou as fazendas da região constatou a versão dos ribeirinhos de que a mortandade começou em duas baías distantes 5 quilômetros uma da outra, e não na calha do rio como chegou a ser suspeitado. A água desses reservatórios escoou em direção ao rio e carregou os animais mortos. Técnicos estimaram em 900 mil quilos de matéria orgânica depositada no local.

De acordo com o diretor de desenvolvimento, Roberto Gonçalves, o fenômeno da decoada é natural na bacia pantaneira e costuma ocorrer com maior frequência no mês de janeiro.

"Os resultados técnicos reforçam a tese de que tenha acontecido a decoada, mas só teremos certeza na semana que vem, quando o laboratório em São Paulo irá concluir a análise das amostras em busca de defensivos agrícolas. Mas a chance de que os componentes químicos tenham contribuído para a mortandade de peixes é remota", esclareceu. O laudo será emitido na próxima semana.

O pesquisador Vander Melchiades Fabrício de Jesus, que integrou a equipe de vistoria ao local, disse que tanto os animais como as famílias de ribeirinhos puderam consumir os peixes, sem que casos de intoxicação fossem notificados. À época, foi possível constatar a mortandade das seguintes espécies: pintado, cachara, piranha, armal, jurupoca, pacu, piau, piraputanga, mandi e barbado.

Entre os dias 1º e 3 de fevereiro, outra equipe foi ao local e constatou que a vida já tinha retomado à relativa normalidade, sendo que os alevinos (formas jovens de peixes) puderam ser encontrados sem dificuldade. Apesar de a decoada ser um processo natural, os pesquisadores concluíram que o episódio ainda não tinha sido visto naquela magnitude no rio Negro.

Participe do nosso canal no WhatsApp

Clique no botão abaixo para se juntar ao nosso novo canal do WhatsApp e ficar por dentro das últimas notícias.

Participar

Leia Também

Fotos: PMMS/ BMMS BOMBEIROS DE MS NO RS
Com atuação de equipes dos Bombeiros, PM e Defesa Civil, MS continua a apoiar o Rio Grande do Sul
Xadrez MS
Enxadristas representam Mato Grosso do Sul em competição nacional de base em Natal
Saúde Delicada
O Ator Tony Ramos passa por cirurgia de emergência na cabeça para tratar sangramento cerebral no RJ
Ajude o RS
Culturamense registra a devastação de Lageado durante entrega de 21 toneladas de donativos
Fotos: Saul Schramm BOMBEIROS DE MS EM AÇÃO NO PANTANAL
Para combater incêndios florestais no Pantanal, Governo de MS instala bases dos bombeiros em 13 área

Mais Lidas

Evento
Confira as duas galerias de fotos da premiação do Mês das Mães no Mercado Julifran
O caso será investigado pelo SIG / Divulgação/JP NewsCRIME EM MS
Homem é executado a tiros dentro de casa em MS
Dia J e sorteio de prêmios
Saiba quem são as mães sorteadas na Promoção Mês das Mães do Mercado Julifran
FÁTIMA DO SUL EM DESTAQUE
Conhecendo Fátima do Sul com Leandro Santos: Uma viagem cultural pelo Favo de Mel do MS
FATIMASSULENSE EM DESTAQUE
Fatimassulense é pódio em mais um rodeio em touros, agora na Expotac 2024