Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 1 de agosto de 2021
Busca
CAMPO GRANDE

Iagro e Mapa apreendem produtos veterinários de uso proibido

17 Ago 2010 - 14h07Por Notícias MS

Fiscais do Serviço de Fiscalização de Insumos Pecuários, da Superintendência Federal de Agricultura (SFA-MS), e da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), apreenderam uma quantidade significativa de produtos de uso veterinário de utilização proibida no Brasil. Os produtos, que os órgãos fiscalizadores acreditam ser contrabandeados, estavam acomodados em veículos em trânsito e nas agências dos Correios de Campo Grande. O material teria como destino pecuaristas de Mato Grosso do Sul.

 

 

Em fiscalização à Agência Central dos Correios em Campo Grande , os fiscais da SFA apreenderam diversos produtos que têm na composição substâncias anabolizantes. Alguns deles com Nandrolona, outros com Testosterona e Estradiol, outros com Progesterona e Estradiol, e também compostos de Zeranol e Trembolona. Foram apreendidos ainda vários frascos de Ivermectina. Os produtos apreendidos foram remetidos a partir de São José do Rio Preto (SP) para pecuaristas de Mato Grosso do Sul. Além da proibição de uso, os produtos não possuíam registro junto ao Ministério da Agricultura.

 

 

Outras apreensões de produtos de uso veterinário irregulares foram feitas por fiscais da Iagro, na barreira de fiscalização agropecuária Itamarati, localizada no município de Aparecida do Taboado. A barreira conseguiu reter 60 frascos de anabolizante composto por Zeranol, que, segundo o condutor do veículo fiscalizado, também teriam sido adquiridos em São José do Rio Preto.

 

 

Os frascos de Ivermectina apreendidos, por não possuírem registro no Mapa, apresentavam composição, período de carência e controle de qualidade em desacordo com a legislação vigente, representando grave ameaça à saúde do rebanho sul-mato-grossense, a exemplo do que foi noticiado recentemente mediante a notificação pelo Departamento de Agricultura do governo dos Estados Unidos ao Ministério da Agricultura brasileiro sobre a detecção de resíduos de Ivermectina em níveis acima dos toleráveis pela legislação americana em partidas de carne bovina processada exportadas a partir de unidades fabris nacionais.

 

 

Os produtos com atividades anabolizantes para fins de crescimento e ganho de peso em bovinos de abate são proibidos em todo o território brasileiro. A proibição de uso foi estabelecida pela Instrução Normativa Mapa nº 10/2001, que levou em consideração os riscos e agravos que esse tipo de produto traz à saúde humana. A normativa proíbe ainda a importação, produção, comercialização e uso de substâncias naturais ou artificiais, com atividade anabolizante, ou mesmo outras substâncias dotadas dessa atividade, mesmo as desprovidas de caráter hormonal, para fins de crescimento e ganho de peso em animais de abate.

 

 

 

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a ação contra o uso de hormônios e anabolizantes de utilização proibida na pecuária bovina brasileira visa garantir a segurança e a competitividade dos alimentos de origem animal, assegurando mais saúde e qualidade de vida ao consumidor.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CÃOPAINHA
Cachorro toca campainha após ficar trancado fora de casa
SONHO INTERROMPIDO
Ultimo ensaio fotográfico minutos antes de médico sofrer choque e morrer nas vésperas de casamento
OLIMPÍADA
Rebeca é prata e faz história na ginástica olímpica em Tóquio
FENÔMENO DA NATUREZA
Chuva de meteoros será visível na madrugada de quinta para sexta em todo Brasil
A CASA CAIU
Mulheres se unem e surram "valentão" flagrado agredindo ex no meio da rua
CRISE HÍDRICA
Novas fontes preparam MS para a crise hídrica, ressalta governador
ABAIXO DE ZERO
Com -8,6°C, SC registra a menor temperatura do Brasil em 2021, diz Inmet
COVID-19
Em dia de aumento de casos Brasil tem 1.333 óbitos por Covid - 19 nas últimas 24 horas
CONCURSO PÚBLICO
Caixa Econômica convocará 9 mil de concursos e abre mais mil vagas
BRASIL - 550.502 MORTES
Covid-19: país ultrapassa 550 mil mortes e tem 19,7 milhões de casos