Menu
SADER_FULL
quarta, 23 de junho de 2021
Busca
Brasil

Greve dos bancários termina em quase todo o País

9 Out 2009 - 07h11Por Terra

Após uma nova proposta dos bancos, os trabalhadores do setor realizaram assembleias para discutir as condições e analisar uma possível volta ao trabalho após 15 dias de greve. Com exceção de Belo Horizonte, onde os bancários analisam amanhã a proposta, os bancos privados retornam ao trabalho nos locais onde as assembleias já terminaram. As informações são da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e incluem informações do balanço até o fim da noite dessa quinta-feira.

Os bancários da Caixa Econômica Federal mantém a greve por tempo indeterminado em todo o País. Em São Paulo, os empregados realizam nova assembleia na Quadra dos Bancários às 16h desta sexta. "Os bancos de outras instituições financeiras já chegaram a um acordo sobre aumento real e Participação nos Lucros e Resultados, mas a Caixa não teve a mesma disposição", disse Eduardo Nunes, diretor da Associação de Pessoal da Caixa Econômica Federal de São Paulo (APCEF-SP), no site oficial.

No caso do Banco do Brasil, até o momento, na maioria das assembleias realizadas pelos sindicatos, os funcionários aprovaram a proposta de reajuste salarial e o modelo de pagamento de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) proposto pelo banco. A negociação foi aprovada em São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Curitiba, Alagoas, Mato Grosso, mas foi rejeitada em Brasília, Porto Alegre e Ceará. Outros sindicatos ainda realizarão novas assembleias, segundo informa a Contraf-CUT.

A proposta aprovada, de acordo com a Contraf-CUT, prevê reajuste salarial de 6% (inflação do período mais aumento real) e melhoria da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O reajuste contempla um aumento real de 1,5% em relação à inflação calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) entre 1º de setembro de 2008 e 31 de agosto de 2009, que foi de 4,44%.

Anteriormente, a Fenaban havia proposto um reajuste de 4,5%, o que foi rejeitado por todos os bancários. O percentual de 6% também será aplicado às demais verbas, como auxílio-refeição (R$ 16,88), cesta-alimentação (R$ 289,31) e auxílio-creche/babá (R$ 207,95). O piso salarial para auxiliar de escritório após 90 dias de empresa passa a R$ 1.074,46.

De acordo com a Contraf-Cut, a greve garantiu a manutenção da distribuição de PLR no montante de até 15% do lucro líquido de cada banco, contra a tentativa das empresas de reduzir esse percentual para 5,5%. A regra básica prevê 90% do salário mais R$ 1.024 fixos, com teto de R$ 6.680. O valor pode ser majorado até que seja distribuído pelo menos 5% do lucro líquido, podendo chegar a 2,2 salários, com teto de R$ 14.696. Além disso, será paga uma PLR Adicional de 2% do lucro líquido distribuídos linearmente entre todos os bancários com teto de R$ 2.100. Esse percentual será garantido tenha o lucro crescido ou não.

A proposta ainda garante a ampliação da licença-maternidade para 180 dias para as funcionárias de todos os bancos e a isonomia de tratamento para casais homoafetivos, que passam a gozar dos mesmos direitos previstos na Convenção Coletiva. O auxílio-creche/babá continua valendo para filhos até 83 meses.

"Esse acordo com a Fenaban representa uma vitória da participação e da luta da categoria, que se indignou contra a tentativa dos bancos de reduzir a distribuição de lucros aos bancários e acabar com a trajetória de sucessivos aumentos reais que os bancários vêm conquistando com mobilização e greve desde 2004. Além disso, a parcela adicional da PLR passa a ser paga diretamente sobre um percentual do lucro líquido, aumentando os ganhos dos bancários", disse Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários, no site da entidade.

"É um acordo positivo, mas ainda temos muito em que avançar. Com a força da greve nos bancos públicos e o crescimento da mobilização nos bancos privados, continuaremos lutando em cada empresa por garantia de emprego, mais contratações, combate às metas abusivas, fim do assédio moral, melhores condições de saúde, segurança e trabalho, entre outras bandeiras", acrescenta o dirigente.

Confira onde e quais bancos estarão funcionando nesta sexta-feira:

São Paulo
Bancos privados, Banco do Brasil e Nossa Caixa voltam ao trabalho e Caixa Econômica Federal (CEF) mantém greve.

Florianópolis
Bancos privados e BB voltam ao traballho. CEF mantém a greve.

Brasília
Bancos privados voltam ao trabalho, BB, CEF e Banco de Brasília mantém a greve.

Porto Alegre
Bancos privados e Banrisul voltam ao trabalho. BB e CEF mantêm a greve.

Rio de Janeiro
BB e banco privados voltam ao trabalho. CEF mantém a greve.

Curitiba
BB e bancos privados voltam ao trabalho.

Roraima
BB e bancos privados voltam ao trabalho. CEF e Basa mantém a greve.

Piaui
Bancos privados voltam ao trabalho. BB, CEF e Banco do Nordeste (BNB) continuam em greve.

Campo Grande
BB e bancos privados voltam ao trabalho. CEF mantém a greve.

Mato Grosso
BB e bancos privados voltam ao trabalho. Basa rejeitou a proposta e mantém a greve, já a CEF ainda não analisou a proposta e mantém a greve.

Ceará
BB mantém a greve.

Acre
BB e bancos privados voltam ao trabalho. CEF e Basa continuam em greve.

Pará
BB, bancos privados e Banpará voltam ao trabalho. CEF e Basa mantém a greve.

Rondônia
BB e bancos privados voltam ao trabalho. CEF e Basa continuam em greve.

Alagoas
BB e bancos privados voltam ao trabalho. CEF e BNB continuam em greve.

Pernambuco
Bancos privados voltam ao trabalho. BB continua em greve e CEF, BNB realizam assembleias.

Espírito Santo
BB, bancos privados e Banestes voltam ao trabalho. CEF continua em greve.

Bahia
BB continua em greve.

Sergipe
BB continua em greve.

Paraíba
Bancos privados voltam ao trabalho. BB e CEF continuam em greve e BNB realiza assembleia.

Belo Horizonte
Realiza assembleia nesta sexta às 15h.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VEJA VÍDEO
Servidora não deixa lençol sujar com sangue de bandido e viraliza na internet
LUTO NA TV
Apresentador do Balanço Geral morre vítima da covid
COPA AMÉRICA
Com mudanças, Brasil encara Colômbia para garantir liderança do grupo
JOGOS ONLINE
Expectativas para legalização de jogos de azar movimenta mercado internacional
Policial
Criança de 6 anos sofre trauma de crânio após cair de atração no Beto Carrero World
DOSE ÚNICA
Avião com 1,5 milhão de doses da Janssen chega amanhã, diz ministro
REAÇÃO CERTEIRA
Mulher flagra filha sofrendo estupro e esfaqueia pedófilo
VIOLENCIA DOMESTICA
Menina de 12 anos furta bisavô e leva 10 chibatadas da mãe por ordem do CV
MILIONÁRIO
Aposta única fatura prêmio de R$ 7 milhões da Mega-Sena
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa paga hoje 3ª parcela do auxílio emergencial para nascidos em março