Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 23 de maio de 2024
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Busca
Brasil

Graduação em engenharia cresce 67% em cinco anos

14 Jan 2011 - 17h50Por Folha

Levantamento divulgado nesta quinta-feira (13) pelo Ministério da Educação mostra que o número de formados na área de engenharia cresceu 67% em cinco anos --após quase duas décadas de estagnação. 

 

O mercado diz, porém, que o volume ainda é insuficiente para atender a demanda.

De acordo com o Censo da Educação Superior, o número de concluintes no setor subiu de 33 mil para 55 mil entre 2004 e 2009.

Mas, mesmo com o crescimento, o Brasil está muito atrás de outros países em desenvolvimento, como a Coreia do Sul (80 mil).

Devido à carência na área, empresas acabam contratando estrangeiros.

Segundo Nival Nunes de Almeida, da Associação Brasileira de Ensino de Engenharia, o Brasil precisaria formar 80 mil engenheiros por ano, de acordo com um estudo feito com a Confederação Nacional da Indústria.

Almeida ressalta que parte dos engenheiros vai para o mercado financeiro e não para o setor produtivo.

DEMANDA ALTA

Responsável pela área técnica do Sindicato da Indústria da Construção Pesada de São Paulo, Helcio Farias afirma que o aumento de formados na área é positivo.

No entanto, diz, a demanda cresce mais rapidamente.

Os dados oficiais mostram que, além da quantidade, há também o desafio de melhorar a qualidade.

A última avaliação mostrou que 1 em cada 4 engenheiros se forma em curso reprovado.

ESTAGNAÇÃO

O censo do Ministério da Educação confirmou que há uma tendência de aumento de concluintes para lecionar matérias carentes no ensino básico (física, química, biologia e matemática), conforme informou a Folha em setembro --mesmo que em uma quantidade insuficiente.

Outra constatação presente no levantamento é que o ritmo de crescimento universitário perdeu força, ainda que cerca de apenas 15% dos jovens estejam no ensino superior. A meta do governo é chegar a 33% até 2022.

A comparação com dados dos anos anteriores, no entanto, foi prejudicada, pois o MEC tornou mais rígida a coleta de informações.

"O panorama não é bom. Há 40 mil vagas públicas ociosas e 1,6 milhão na rede privada. O governo precisa atuar para preenchê-las", disse Oscar Hipólito, do Instituto Lobo e ex-diretor da USP-São Carlos.

Participe do nosso canal no WhatsApp

Clique no botão abaixo para se juntar ao nosso novo canal do WhatsApp e ficar por dentro das últimas notícias.

Participar

Leia Também

Fotos: PMMS/ BMMS BOMBEIROS DE MS NO RS
Com atuação de equipes dos Bombeiros, PM e Defesa Civil, MS continua a apoiar o Rio Grande do Sul
Xadrez MS
Enxadristas representam Mato Grosso do Sul em competição nacional de base em Natal
Saúde Delicada
O Ator Tony Ramos passa por cirurgia de emergência na cabeça para tratar sangramento cerebral no RJ
Ajude o RS
Culturamense registra a devastação de Lageado durante entrega de 21 toneladas de donativos
Fotos: Saul Schramm BOMBEIROS DE MS EM AÇÃO NO PANTANAL
Para combater incêndios florestais no Pantanal, Governo de MS instala bases dos bombeiros em 13 área

Mais Lidas

Foto: Washington Lima / Fátima Em DiaFÁTIMA DO SUL - AÇÕES DO GOVERNO MUNICIPAL
Prefeita Ilda Machado dá início as obras de revitalização do Horto Florestal em Fátima do Sul
FOTOS: PREFEITURA MUNICIPAL DE FÁTIMA DO SULFÁTIMA DO SUL - REVITALIZAÇÃO HORTO FLORESTAL
Confira as FOTOS de como vai ficar o Horto Florestal após a revitalização em Fátima do Sul
TRAGÉDIA NO TRÂNSITO
Motociclista morre em acidente com carreta na BR-163 em MS
TRAGÉDIA
'Não tive como evitar', diz caminhoneiro após motociclista invadir pista contrária e morrer
Túmulo que foi violado em Ponta Porã (MS)  Foto: TV MorenaCASO DE POLÍCIA
Cabeça de menina que teve o corpo furtado de cemitério é encontrada pela polícia