Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 5 de abril de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Governo quer reajuste extra do telefone em 2 parcelas

7 Jul 2004 - 07h09
O governo quer parcelar o reajuste da telefonia fixa relativo ao ano passado em duas vezes, uma em setembro e outra em novembro. Segundo o ministro das Comunicações, Eunício Oliveira, foi essa a proposta apresentada na segunda-feira aos principais executivos das teles fixas --Telefônica, Telemar, Brasil Telecom, Embratel, Sercomtel e CTBC Telecom.

O ministro chegou a propor uma discussão sobre a possibilidade de redução do índice de reajuste, que deverá ter um impacto próximo de 10 pontos percentuais acima do aumento médio autorizado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) para este ano de 6,89%.

Ele reconheceu, no entanto, que há uma decisão da Justiça sobre o reajuste das tarifas do ano passado que não será contestada pelo governo.

"A recomendação do presidente [Luiz Inácio Lula da Silva] é a de que a negociação seja feita dentro dos limites do contrato e na defesa do consumidor", disse.

Na avaliação do ministro, a aplicação do reajuste em duas parcelas bimestrais é melhor para o consumidor que, por exemplo, em quatro vezes
mensais.

As empresas argumentaram que já perderam cerca de R$ 960 milhões cada uma no último ano, mas o ministro destacou que não irá discutir o passado, mas o futuro.

Eleições

Questionado se o parcelamento proposto pelo governo estaria relacionado às eleições municipais, já que o impacto integral das tarifas no bolso do consumidor só seria percebido em novembro, ou seja, após as eleições, o ministro fez questão de dizer que não está discutindo as eleições.
"Não estamos preocupados com esse aspecto", afirmou.

Segundo Oliveira a intenção do governo ao tentar parcelar o reajuste das tarifas é amenizar o impacto para o consumidor, mas ele disse que a medida também beneficiará as contas públicas, uma vez que reduzirá o impacto sobre a inflação.

O ministro não recebeu ainda uma sinalização das empresas sobre a aceitação ou não da proposta, mas confirmou para a tarde da próxima segunda-feira uma nova reunião com os executivos das teles para definir a questão.

Aos executivos, que resistiram inicialmente à proposta do governo de parcelar o reajuste, o ministro argumentou que tem "25 anos de praça negociando", numa referência ao período em que atuou como empresário.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORONAVÍRUS NO MS
Fátima do Sul aparece com 2 casos suspeito de coronavírus, MS tem jovem de 21 anos confirmado, VEJA
CORONAVÍRUS NO MS
Coronavírus em MS, Confira os gráficos de como está a situação no Estado
MUNDO DA MÚSICA
Dupla de MS briga com Naiara Azevedo por publicar música sem autorização
332 MORTOS
Casos de coronavírus no Brasil em 3 de abril
TODOS CONTRA CORONAVÍRUS
Grupo Boticário doa 216 ton. de itens de higiene e anuncia apoio à compra equipamentos hospitalares
CORONAVÍRUS NO BRASIL
Mandetta responde críticas de Bolsonaro: 'quem tem mandato fala, quem não tem, trabalha'
252 MORTOS
Casos de coronavírus no Brasil em 2 de abril
ASSASSINATO
Menina de 13 anos que estava desaparecida é encontrada morta com sinais de espancamento
DOURADOS - POLONIO IMÓVEIS
Polonio Imóveis informa em como pedir a pausa de 3 parcelas no financiamento imobiliário da Caixa
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Farmácias abrem mais de 2 mil vagas de emprego; salários chegam a R$ 7.500