Menu
SADER_FULL
terça, 14 de julho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Governo quer liberar estudo com embrião

27 Jul 2004 - 08h14
Nas negociações para aprovar o projeto da Lei de Biossegurança em agosto, logo depois das férias do Congresso, o Palácio do Planalto já deu sinal verde à proposta que autoriza a utilização de embriões humanos para a obtenção das chamadas células-tronco, que podem se converter em qualquer tipo de tecido humano e representar a cura, no futuro, de doenças genéticas ou degenerativas.

Por pressão de parlamentares evangélicos e da Igreja Católica, a versão do projeto aprovada em fevereiro pela Câmara proíbe a produção de embriões humanos destinados a servir como material biológico disponível --ou seja, passível de manipulação em pesquisas científicas.

Uma emenda a ser apresentada depois do recesso parlamentar pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), com o apoio da cúpula política do governo, autoriza a utilização de embriões para desenvolver células-troco destinadas a pesquisa ou tratamento de doenças ou lesões.

O projeto prevê o uso de embriões produzidos por fertilização "in vitro" para a reprodução e que tenham sido descartados ou estiverem congelados há mais de três anos. É exigida ainda a autorização expressa dos pais biológicos, quando eles puderem ser identificados.

"A fixação desse tempo [três anos] não foi aleatória, mas feita com base em relatórios técnicos internacionais que apontam para o prazo de quatro a cinco anos como limite de tempo de congelamento a partir do qual o grau de segurança de viabilidade total do embrião fica comprometido", alega o senador. A proposta foi elaborada com a ajuda técnica de cientistas.

As pesquisas com células-tronco já foram autorizadas no Japão, na China, na Austrália, na Coréia do Sul e em países da Europa, como Inglaterra e Espanha. No Brasil, enfrentam a forte oposição da Igreja Católica e de parlamentares da bancada evangélica.

A mudança negociada no Senado fará com que o projeto tenha de ser votado novamente pela Câmara. O resultado provavelmente ficará para depois das eleições municipais de outubro.

Na semana passada, o ministro Eduardo Campos (Ciência e Tecnologia) apoiou as pesquisas com células-tronco embrionárias no país na abertura das conferências da SBPC (Associação Brasileira para o Progresso da Ciência) em Cuiabá (MT).

O líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), ainda estuda a possibilidade de dividir o projeto da Lei de Biossegurança em dois.

A parte que autoriza a próxima safra de soja transgênica e define as regras para licenciamento de sementes geneticamente modificadas seria votada com mais urgência. Com isso, o destino das pesquisas com células-tronco, ainda mais polêmico, poderia ficar indefinido por mais tempo.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

FATALIDADE
Instrutor de tiros morre após disparo acidental contra o próprio peito no dia do aniversário
TRUCULENCIA
'Achei que iria morrer sufocada como George Floyd', diz mulher negra que teve pescoço pisado por PM
AUXILIO EMERGENCIAL
Liberados saques e transferências para aprovados no 3º lote
VITIMA DA COVID 19
Cantor morre de covid-19 após sogro e sogra; esposa está em isolamento
CAOS NA SAUDE
MT está perdendo a guerra para o coronavírus; nós subestimamos a doença
TRAGEDIA NO CONDOMÍNIO
Adolescente que matou amiga treina tiro esportiva há 3 anos com o pai
VIOLENCIA DOMESTICA
Mulher tem rosto desfigurado após ser agredida e pisoteada pelo marido bêbado
CORONAVIRUS AVANÇA
Brasil tem 72.234 mortes por Covid-19, segundo consórcio de veículos da imprensa em boletim das 13h
BONITO - DICAS AGÊNCIA
Como fazer Snorkel em Bonito MS, o que ver, o que fazer e o que não!
PANDEMIA CORONAVIRUS
Filho de ex-jogador famoso vende geleias e não vê o pai há nove anos