Menu
SADER_FULL
quinta, 13 de maio de 2021
Busca
Brasil

Governo proíbe venda de 63 inseticidas

24 Ago 2004 - 10h16
O governo proibiu ontem a produção, venda e uso de inseticidas de uso doméstico à base de clorpirifós, uma substância que pode causar danos ao sistema neurológico, como paralisia e atraso no desenvolvimento infantil. A medida atendeu a uma decisão provisória da Justiça Federal.

Entre os 63 produtos que constam de uma lista preliminar divulgada no fim da tarde pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) estão o Baygon Mata-Baratas, o Raid Isca Mata Baratas, o Baygon Mata Baratas Iscas, o Rodasol Rodox Iscas Mata Baratas e o SBP Iscas Mata Baratas.

A empresa que fabrica o primeiro e o terceiro produto, a Ceras Johnson, do Rio de Janeiro, informou que somente a versão em isca --não a em spray-- contém a substância. E que a isca tem mecanismos de segurança, o que a excluiria do rol de produtos vetados.

A reportagem não conseguiu identificar os demais fabricantes até o fechamento desta edição. A assessoria de imprensa da Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Limpeza e Afins informou não ter encontrado ninguém para comentar o assunto.

Segundo a Anvisa, o produto Baygon Mata Baratas teve seu registro cancelado a pedido da antiga fabricante, a Bayer, em 19 de novembro de 2003, antes da linha de produtos ser transferida para a Ceras Johnson.

De acordo com a agência, o nome do inseticida foi mantido na lista porque alguns consumidores ainda podem ter os produtos em suas casas.

Os fabricantes que descumprirem a decisão estão sujeitos a punições que vão de notificação a multas da agência, que podem alcançar R$ 1,5 milhão.

No último dia 16, o juiz-titular da 5ª Vara Federal de Porto Alegre, Cândido Alfredo Silva Leal Júnior, determinou à Anvisa a suspensão dos registros de produtos à base da substância, exceto iscas para baratas em recipientes com mecanismo de segurança.

A ação civil pública com o pedido de liminar foi proposta pelo Ministério Público Federal, após registros de intoxicação no Rio Grande do Sul.

"A decisão da Justiça antecipou a nossa", afirmou Luiz Cláudio Meirelles, gerente geral de toxicologia da Anvisa. Segundo ele, os produtos a base do clorpirifós, que faz parte do grupo químico dos organofosforados, são analisados desde 2002. No ano passado, foi proibido seu uso no campo e, em junho deste ano, a agência concluiu que os produtos domésticos poderiam causar danos.

Produtos com a mesma substância foram banidos dos EUA em 2003 por determinação da EPA (agência de proteção ambiental norte-americana), medida que embasou a avaliação da Anvisa. Foi a primeira vez que a agência baniu o uso doméstico de um organofosforado. Outros estão sob avaliação, diz o gerente.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul