Menu
SADER_FULL
quinta, 6 de maio de 2021
Busca
Brasil

Governo Popular atende especificidades de alunos do campo

2 Set 2004 - 13h28
Desde 1999, o governo do Estado, através da Secretaria de Educação (SED), tem se preocupado em oferecer educação básica integral aos alunos que vivem nas zonas rurais de Mato Grosso do Sul. Foi criada a gestão de processos em educação básica do campo. A iniciativa busca oferecer melhor atendimento aos 44.246 alunos que moram fora dos centros urbanos.

O principal objetivo é respeitar a diferença desses alunos, sem, portanto, restringir a igualdade de direitos à educação básica, à saúde, à moradia, em especial em um estado com grande extensão rural. Mato Grosso do Sul possui 33 milhões de hectares de terras e abriga quase dois terços do Pantanal. Atualmente, há 117 assentamentos, em 46 municípios, e 124 acampamentos, em 49 municípios do Estado.

A necessidade de construir uma política educacional para o campo torna-se urgente. A rede estadual de ensino já possui 26 escolas no campo, mas nem todas já trabalham com metodologias diferenciadas, envolvendo questões do campo, como vocação econômica da comunidade. Além de implementar esse ensino diferenciado para quem vive em zonas rurais, a SED busca expandir a educação básica do campo no próprio campo.

Na Escola Estadual José Edson Domingos dos Santos, no Assentamento Itamarati, em Ponta Porã, os 1.349 alunos já exercitam atividades que valorizam a realidade vivida por eles. Segundo a coordenadora pedagógica da unidade, Jane Aparecida Matias, há dois projetos em andamento.

O primeiro é uma pesquisa econômica sobre plantação de girassol para produção de biodiesel, na qual os alunos estão preparando a terra para o plantio ainda neste mês. O segundo, sobre conscientização da importância da água, já permitiu que os estudantes selecionassem áreas, de um rio que passa pelo assentamento, para serem reflorestadas.


Educação superior para o campo - Além da educação básica, a SED, através do Comitê da Educação Básica do Campo – composto por 14 instituições, entre movimentos sociais e Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) – está estudando uma proposta de formação de educadores dos assentamentos. Com recursos do Programa Nacional de Educação para a Reforma Agrária (Pronera), a SED estuda a viabilidade de implantar, em 2005, cinco cursos de licenciatura (Matemática, Letras, História, Geografia e História) para atender o ensino médio.

No campus de Aquidauana, a UEMS pretende oferecer o curso de Agronomia e Zootecnia. “As populações dos assentamentos são altamente organizadas. Precisamos permitir que eles estejam capacitados profissionalmente para entender as questões da terra e desenvolver, cada vez mais, as vocações específicas do campo”, afirma a gestora de Processos em Educação Básica do Campo da SED, Ivone Nemer de Arruda.
 
 
Agência Popular

Deixe seu Comentário

Leia Também

VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias
PÉSSIMA PROJEÇÃO
Covid-19: Brasil deve alcançar 575 mil mortes em 1º de agosto, diz instituto
SONHO INTERROMPIDO
Jovem perde noivo para a Covid-19 no dia do casamento: 'Nossos sonhos ficaram para trás'
PANDEMIA CORONAVIRUS
Triste número: Brasil ultrapassa 400 mil mortes por Covid-19
REVOLTA
Pastor zomba da fé dos indígenas Trukás que revoltados quebram templo em construção; veja o vídeo
VIOLAÇÃO
Vereador abre caixão para provar que idoso não morreu de covid; assista