Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 26 de outubro de 2021
Busca
Brasil

Governo estadual paga amanhã salários de novembro

7 Dez 2006 - 14h39
O governador Zeca do PT anunciou esta semana antecipação em três dias do pagamento salarial aos servidores públicos estaduais. Os salários estarão à disposição do funcionalismo amanhã, montante equivalente a R$ 98 milhões, segundo o secretário de Estado de Receita e Controle, Etsuo Hirakawa. Com o pagamento dos salários, do 13º no dia 20 e a quitação das rescisões dos servidores comissionados, o Estado injeta na economia R$ 200 milhões em dezembro. Os comerciantes comemoram a chegada desses recursos e prevêem aumento substancial nas vendas.

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Campo Grande (CDL), Marcello Marques, há uma espera muito boa no aumento do fluxo de consumidores após os pagamentos da folha salarial e 13º salário. “É uma expectativa grande. Já tivemos aumento no último fim de semana, cerca de 7% em relação ao mesmo período do ano passado. Por isso, aumentamos nossa expectativa de crescimento nas vendas – que era também de 7% – para algo em torno de 10% a 15% em relação a dezembro 2005.”

O presidente relata que, junto com o aumento nas vendas, cresceu o número de vagas no mercado de trabalho. Segundo ele, mais de duas mil foram ofertadas. “As contratações podem até chegar a 2,5 mil pessoas até o final do ano”, acredita.

Os índices defendidos pela CDL são diferentes dos expostos pelas pesquisas da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), que também aponta aumento no número de vendas, porém em percentual mais modesto. Para a instituição, a proporção de vendas neste último mês de 2006 será entre 7% e 10% superior a dezembro de 2005. As consultas realizadas pelas entidades lojistas consideram principalmente os dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).


Expectativas – Afinados com as expectativas das entidades representativas, os lojistas da região central de Campo Grande aguardam ansiosos a liberação dos salários dos servidores públicos (municipais, estaduais e federais) para ver o movimento aumentar. O funcionalismo é responsável por 52% do total de clientes do comércio, segundo a CDL.

Para Fabrisa Corrêa, gerente há quatro anos de um loja de roupas, o dinheiro pago pelo governo estadual a seus funcionários “dá um novo ânimo” ao comércio da Capital. “Ano passado, neste período, o movimento estava maior. Mas a expectativa é esperançosa daqui para o fim do ano porque eles [referindo-se aos servidores] deixam para comprar tudo nos dias que antecedem ao Natal, como todo brasileiro, que acaba deixando tudo para última hora”, brinca.

Ronan Gonçalves dos Santos, um dos gerentes de uma loja especializada em calçados, também anseia por uma maior clientela. “O que todo mundo espera é o pagamento dos servidores para aquecer as vendas. O pagamento do 13º vai alavancá-las – esperamos. As lojas aumentam o estoque nessa época. Sempre tem um presente no fim de ano que alguém quer dar. É a tradição do brasileiro. Podemos dizer que todo comerciário planta o ano inteiro para colher em dezembro.”

Essa opinião é compartilhada por Roberto Santos, gerente de uma casa de eletrodomésticos. “A expectativa de crescimento de vendas é enorme, principalmente após a mudança no horário comercial para atendimento até as 22h. Nossa Capital não tem muitas fontes, então, o funcionalismo público é que faz a grande parte de nossa clientela.”

Leia Também

LIÇÕES DA BÍBLIA
Amem o estrangeiro
LIÇÕES DA BÍBLIA
Circuncidem seu coração
OLIMPÍADA 2024
Atletas de MS terão bolsas de até R$ 7 mil para competir nos jogos olímpicos
LIÇÕES DA BÍBLIA
Estudo adicional
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas
ESTAVA DESAPARECIDO
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré
LIÇÕES DA BÍBLIA
O principal mandamento
BAIXARAM A GUARDA
Covid-19: Brasil registra 390 mortes e 12,9 mil casos em 24 horas
LIÇÕES DA BÍBLIA
Se me amam, guardarão os Meus mandamentos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab está com 655 vagas para indígenas interessados em trabalhar em lavouras de maçã em SC e RS