Menu
SADER_FULL
quarta, 3 de março de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Governo de MS prorroga por mais 15 dias a vacinação contra a aftosa

30 Mai 2011 - 13h38Por G1

O governo de Mato Grosso do Sul prorrogou por mais 15 dias a etapa de vacinação contra a febre aftosa dos rebanhos bovino e bubalino do estado estabelecida para o mês de maio, bem como a comunicação e a entrega pelos pecuaristas da Declaração de Estoque Efetivo de Animais Bovinos e Bubalinos.

Os decretos com as alterações nos prazos foram publicados na edição desta segunda-feira (30), do Diário Oficial do estado.

Segundo o governo, a prorrogação da campanha de vacinação contra a febre aftosa leva em consideração as intensas precipitações hídricas que atingiram o estado no início do ano e se estenderam até o mês de março de 2011, provocando o aumento gradual dos níveis das águas de rios e córregos e consequentemente o transbordamento de suas águas.

As enchentes, conforme o governo, ocasionaram prejuízos para os proprietários e para as propriedades rurais, especialmente para aqueles localizados no Pantanal sul-mato-grossense.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Filho de fazendeiro reclama de dor anal e mãe descobre estupro cometido por funcionário
BOA NOTICIA
Governo zera PIS e Cofins do diesel e do gás de cozinha
RIGOR DA LEI
Cidade vai multar em até R$ 60 mil quem descumprir decreto de combate ao Covid-19
PANDEMIA 100 FIM
Brasil tem 30.484 mortes por Covid-19 em fevereiro, 2º maior número em toda a pandemia
charge_gasolina 100 TRÉGUA
Facada: Petrobras anuncia novo aumento nos preços da gasolina e diesel
CARCERE PRIVADO
Homem é preso por cárcere privado e violência doméstica após mulher pedir socorro com foto nas redes
NOVO AUXILIO
Presidente afirma Auxílio emergencial deve voltar em março, com parcelas de R$ 250
ALERTA EPIDEMIOLÓGICO
Covid-19: Brasil registra 1.541 mortes em 24 horas
MUNDO DO CRIME
Após morrer de Covid-19 no mesmo dia, casal tem oficina invadida e furtada
TRISTEZA NA FAMILIA
Pai e filho morrem de Covid-19 com poucas horas de diferença