Menu
SADER_FULL
sexta, 22 de outubro de 2021
Busca
Brasil

Governadores eleitos gastaram R$ 207 milhões

30 Nov 2006 - 11h13
Os 27 candidatos ao governo que saíram vitoriosos das urnas nestas eleições declararam juntos um gasto de R$ 206,7 milhões. Neste ano, diferentemente de 2002, todas as campanhas foram milionárias.

Tanto a campanha mais cara quanto a mais barata foram de governadores do PSDB. José Serra, em São Paulo, foi o que mais gastou. O governador eleito teve uma despesa declarada de R$ 25,9 milhões. Já o governador reeleito de Roraima, Ottomar Pinto, teve uma despesa de R$ 1,9 milhão - a menor entre todas as campanhas.

A soma dos gastos dos 27 governantes equivale a praticamente o dobro gasto pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT): R$ 104,3 milhões.

Apesar da minirreforma eleitoral, que proibiu showmícios e outdoors com o objetivo de baratear as campanhas, os gastos declarados subiram em relação à eleição de 2002.

Em 2002, o custo total declarado das campanhas para os governos estaduais ultrapassou R$ 160 milhões - já descontada a inflação do período, medida pelo IPCA. Ou seja, nestas eleições foram gastos cerca de R$ 45 milhões a mais pelos governadores eleitos. Na eleição passada, duas campanhas tiveram gastos inferiores a R$ 1 milhão: Piauí e Amapá.

Para o especialista em direito eleitoral Alberto Rollo, presidente do Instituto de Direito Político, Eleitoral e Administrativo, os gastos não aumentaram, como sugerem os números. "As despesas diminuíram. Só que as contas estão mais transparentes." Segundo ele, a minirreforma fez com que os candidatos entregassem declarações "mais redondas", pois as contas foram "mais vigiadas".

Voto caro - O voto mais caro foi o do governador reeleito de Tocantins, Marcelo Miranda: R$ 20,24. Entre os vitoriosos no segundo turno, o primeiro lugar ficou com o governador reeleito de Goiás, Alcides Rodrigues (PP): cada voto custou R$ 10,3.

Em relação aos doadores dos candidatos eleitos pela primeira vez, há curiosidades neste segundo turno. A declaração do governador Jackson Lago (PDT-MA), por exemplo, traz como um dos maiores doadores uma unidade de saúde: o "Hospital São Domingos Ltda" doou R$ 300 mil a ele.

A construtora OAS, que aparece como uma das principais doadoras da campanha do presidente Lula, doou R$ 800 mil à campanha do governador eleito do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), e R$ 300 mil a Eduardo Campos (PSB), governador eleito de Pernambuco.

Alguns setores da economia local dos Estados se destacam na doação aos reeleitos no segundo turno, a exemplo do verificado no primeiro turno. Em Goiás, o setor sucroalcooleiro - que nos últimos anos cresceu mais que a soja no Estado - doou cerca de meio milhão a Alcides Rodrigues.

Em Santa Catarina, a Santinho Empreendimentos Turísticos doou R$ 100 mil a Luiz Henrique. Foi no Costão do Santinho que, há duas semanas, o governador eleito convidou seus colegas peemedebistas eleitos a discutir a adesão em bloco ao presidente Lula em seu segundo mandato.

 

 

Folha Online

Leia Também

OLIMPÍADA 2024
Atletas de MS terão bolsas de até R$ 7 mil para competir nos jogos olímpicos
LIÇÕES DA BÍBLIA
Estudo adicional
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas
ESTAVA DESAPARECIDO
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré
LIÇÕES DA BÍBLIA
O principal mandamento
BAIXARAM A GUARDA
Covid-19: Brasil registra 390 mortes e 12,9 mil casos em 24 horas
LIÇÕES DA BÍBLIA
Se me amam, guardarão os Meus mandamentos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab está com 655 vagas para indígenas interessados em trabalhar em lavouras de maçã em SC e RS
ALERTA TEMPORAIS
Chance de Tempestades (La Ninã) no final do ano é de 87%, aponta atualização do NOAA
LIÇÕES DA BÍBLIA
Ele nos amou primeiro