Menu
SADER_FULL
quinta, 4 de junho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Google proibirá anúncios de venda de trabalhos acadêmicos

23 Mai 2007 - 05h28
Atendendo ao pedido de universidades, o site Google vai proibir, a partir do próximo mês, anúncios que vendam trabalhos acadêmicos como teses e dissertações. Diversas universidades têm reclamado que alunos estão apresentando dissertações e ensaios padronizados vendidos pela internet.

As universidades elogiaram a medida tomada pelo site, que é uma das mais populares páginas de busca da internet. Já empresas que vendem trabalhos acadêmicos alegam que a atividade é legítima e se disseram injustamente punidas. O Google já notificou as empresas.

"Dificultar a vida destas cínicas indústrias de ensaios pela internet é um passo na direção certa", disse o professor Drummond Boné, presidente da associação de universidades britânicas Universities UK.

"Nós apoiamos esta decisão. Sites de dissertações acadêmicas alegam que estudantes pagam centenas de libras por respostas padronizadas, mas que não entregam os trabalhos com os seus nomes. Nós todos sabemos que esta alegação é absurda."

Até R$ 20 mil

De acordo com a entidade, alguns trabalhos chegam a ser vendidos por 5 mil libras (cerca de R$ 20 mil). A Universities UK diz que 12 mil trabalhos acadêmicos são vendidos pela internet por ano.

As dissertações são escritas por acadêmicos freelancers ou por outros estudantes e podem ser facilmente identificados por softwares de plágio usados pelas universidades.

O Google disse que sua política de anúncios é "desenvolvida e avaliada de acordo com múltiplos fatores como considerações legais e culturais, além da experiência dos usuários e consumidores".

Um porta-voz da empresa disse que a proibição será adotada nos sites Google em todo o mundo. O Google já proíbe propagandas de alguns serviços considerados inaceitáveis pela empresa como armas, tabaco, documentos falsos, curas milagrosas e prostituição.

A empresa britânica Essaywritter.co.uk, que trabalha no ramo, criticou a decisão do Google, responsável por 80% dos seus clientes.

O diretor Matthew Wilson alega que a empresa está sendo punida apesar de atuar em um ramo legítimo e transparente, já que a Essaywritter.co.uk avisa os alunos que eles não devem usar o material de forma desonesta.

Wilson disse que um serviço que oferece ensaios exclusivos em tão pouco tempo por cerca de 70 libras (aproximadamente R$ 280) pode ajudar alunos que buscam auxílio extra.

Estudantes fora da Grã-Bretanha também consomem o serviço. Wilson disse que com a proibição dos anúncios no Google, o site de buscas vai acabar conduzindo muitos alunos a sites nocivos, acusados de enganar os seus clientes com ensaios de baixa qualidade.

 

 

BBC Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSUSTADOR E REAL NO BRASIL
Com uma morte por minuto, Brasil registra 1.349 mortes por coronavírus nas últimas 24h, novo recorde
JULGAMENTO
TSE julga se cassa Bolsonaro e vice a partir de terça
AUXILIO DOENÇA
Como pedir concessão e prorrogação do auxílio-doença durante pandemia
1º CASO NO BRASIL
Paciente recuperada de coronavírus no Piauí volta a ter teste positivo
VITIMAS DA COVID 19
Mãe, avó e irmão de jovem morrem por covid-19: 'essa doença é horrível'
COVID-19
Brasil registra mais de 31 mil mortes por covid-19
COISA MEDONHA
Mulher é desenterrada e estuprada um dia após ser sepultada
DOURADOS - NOVO EPICENTRO COVID-19
Dourados é novo epicentro do coronavírus em MS com mais de 300 casos confirmados
AUXÍLIO EMERGENCIAL
Caixa LIBERA 2ª parcela do auxílio de R$ 600 em contas dos beneficiários, veja os meses
ABSURDO
Médica relata ter sofrido agressões por parte de frequentadores de 'festas de corona'