Menu
SADER_FULL
quarta, 1 de dezembro de 2021
Busca
Brasil

Geraldo articula contra desativação do SAMU de Dourados

28 Jan 2010 - 07h28Por Dourados News

O deputado federal Geraldo Resende esteve nesta quarta-feira, no Ministério da Saúde, em Brasília, para tratar da questão do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de Dourados. As articulações do parlamentar permitiram que a administração municipal revisse a proposta de
desativação do serviço no Município, como foi noticiado pela imprensa local.

Segundo Geraldo, desativar o SAMU e implantar a chamada “central de ambulâncias” seria um retrocesso na saúde pública douradense e de toda a região, pois a cidade também poderia perder a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) que está em vias de ser construída no município, pois as
centrais de ambulância não possuem a mesma estrutura e suporte do SAMU para prestar socorro à população em casos de emergência.

O parlamentar disse que as interlocuções que fez no Ministério poderão, inclusive, subsidiar a audiência que o Conselho Municipal de Saúde terá na manhã desta quinta-feira (28) com o prefeito Ari Artuzi. “Tenho convicção de que o prefeito não iria fazer um gesto tresloucado como este, de desativar um serviço tão benéfico para a população e que foi conquistado a partir de muita luta. Ponderei isso com o seu secretário de Comunicação Eleandro Passaia e percebi nele a disposição de argumentar com o prefeito para que isso não acontecesse”, afirmou o deputado.

Para Geraldo Resende, a desativação do SAMU traria prejuízos enormes à população douradense, pois o Município teria que devolver as quatro ambulâncias doadas pelo Ministério da Saúde: duas de porte básico, uma de porte avançado e um de reserva técnica. Além disso, perderia o repasse
mensal de R$ 71,5 mil destinado ao custeio do serviço.

Outro grande prejuízo para Dourados, em caso de desativação do SAMU, seria a perda da UPA (Unidade de Pronto Atendimento), que já conta, inclusive, com recursos liberados para a construção em Dourados (R$ 260 mil, de um total de R$ 2,6 milhões já garantidos pelo Ministério da Saúde).

“Pelo que ficamos sabendo no Ministério da Saúde, até hoje não houve nenhum caso, em todo o país, de devolução das ambulâncias e desativação do SAMU. Se acontecesse em Dourados, seria a primeira vez desde que o programa foi criado, em 2003”, salienta Geraldo. Em Dourados, o Serviço foi ativado em 31 de março de 2008, com a presença do então coordenador geral de Urgência e
Trauma do Ministério da Saúde, Cloer Vescia Alves.

*O SAMU*

O SAMU é um programa que tem como finalidade prestar o socorro à população em casos de emergência. O SAMU está reduzindo, em todo o país, o número de óbitos, o tempo de internação em hospitais e as seqüelas decorrentes da falta de socorro precoce. O serviço funciona 24 horas por dia com equipes de profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem
e socorristas que atendem às urgências de natureza traumática, clínica, pediátrica, cirúrgica, gineco-obstétrica e de saúde mental da população.


Leia Também

DOENTIO
Mulher descongela geladeira e encontra corpo de bebê escondido em sacola
PONTE BIOCEÂNICA
Ponte Bioceânica vai ganhar nova data de lançamento; Bolsonaro e Marito participam
AÇÕES DO GOVERNO MS
Com estados da região Sul, Azambuja quer integração ferroviária e união para redução de carbono
PIX SAQUE
Pix Saque começa hoje:comércio vê nova ferramenta como chamariz para clientes,mas teme por segurança
TRAGÉDIA NA LINHA DO TREM
vítima comemorou aniversário do marido um dia antes de morrer com a filha em acidente com trem
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 9,2 mil novos casos
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid-19: Brasil registra 303 mortes e 12.126 casos em 24 horas
DESESPERO
Vídeo: veja momento em que calçada cede e pessoas caem em rio
PÂNICO NO AEROPORTO
Vídeo mostra passageiros gritando e muito desespero em avião da Azul; veja
EMBOSCADA
Jovem morre após ser atingida por tiro na cabeça