Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 4 de dezembro de 2021
SADER_FULL
Busca
Brasil

Geração de 1,6 milhão deve aumentar em 6% a massa salarial

5 Fev 2010 - 10h47Por Agência Brasil

 
O ministro da Fazenda, Guido Mantega, estima que a criação de mais de 1,6 milhão de postos de trabalho - projeção que, segundo ele, é considerada conservadora pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva - deve provocar aumento de 6% na massa salarial.

Se confirmado, esse crescimento será importante para alimentar o mercado de consumo, com reflexos ainda mais benéficos para o crescimento da economia. Guido Mantega participou do 9 balanço do Programa dse Aceleração do Crescimento (PAC).

“A massa salarial é resultado do emprego, do salário. Nessa massa salarial estão incluídas também as transferências de renda que o Estado faz para os trabalhadores, como o Bolsa Família, o aumento do salário mínimo e vários programas sociais”.

Mantega destacou o estímulo ao investimento que o PAC proporcionou.

Segundo ele, enquanto em 2006 os investimentos cresceram 9,8% em comparação ao ano anterior, em 2007, chegaram a 13,9% e 2008, a 13,4%. No ano passado, caíram por causa da crise, mas já estão em recuperação e podem ficar entre 16% e 20%, neste ano.

Para Mantega, o governo está cumprindo um dos objetivos do PAC que é aumentar o crédito, diminuindo o custo financeiro.

Ele apresentou a evolução do setor em relação ao Produto Interno Bruto (PIB, a soma de bens e serviços produzidos no país), mostrando que em 2006 estava crescendo 30% em relação a 2005 e atualmente está em 45%.

A taxa de crescimento atual é de cerca de 30%, depois de ter caído para 15% durante a crise financeira mundial que afetou om país desde o final de 2008.

Em 2010, a projeção é de crescimento 20%, que segundo o ministro é fundamento para sustentar o nível de atividade econômica.

O ministro ressaltou o papel do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que recebeu R$ 100 bilhões do governo para fornecer crédito ao setor produtivo. Com os recursos do banco, foram possíveis repasses de R$ 137 bilhões em 2009 o, que nas contas do ministro representam mais de 4% do PIB.

“Esse recursos, não foram dados aos bancos, como aconteceu nos países avançados, onde o governo dava dinheiro para cobrir o “buraco” dos bancos e ativos tóxicos. Aqui nós não demos de graça nenhum tostão ao mercado financeiro”.

Segundo Mantega, foi disponibilizado apenas um volume maior de recursos para que as atividades não fossem paralisadas e o país pudesse enfrentar a crise.

Leia Também

ABUSO DE AUTORIDADE
PM arrasta homem negro algemado em moto; "Como na escravidão", diz gravação
REVOLTANTE
Índia de 13 anos violentada pelo avô busca ajuda e acaba estuprada por 4 em unidade saúde
DOENTIO
Mulher descongela geladeira e encontra corpo de bebê escondido em sacola
PONTE BIOCEÂNICA
Ponte Bioceânica vai ganhar nova data de lançamento; Bolsonaro e Marito participam
AÇÕES DO GOVERNO MS
Com estados da região Sul, Azambuja quer integração ferroviária e união para redução de carbono
PIX SAQUE
Pix Saque começa hoje:comércio vê nova ferramenta como chamariz para clientes,mas teme por segurança
TRAGÉDIA NA LINHA DO TREM
vítima comemorou aniversário do marido um dia antes de morrer com a filha em acidente com trem
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 9,2 mil novos casos
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid-19: Brasil registra 303 mortes e 12.126 casos em 24 horas
DESESPERO
Vídeo: veja momento em que calçada cede e pessoas caem em rio