Menu
SADER_FULL
segunda, 17 de maio de 2021
Busca
Brasil

Força-tarefa investiga 500 por "lavagem" de dinheiro

3 Set 2004 - 08h59
Balanço divulgado hoje por força-tarefa que investiga "lavagem" de dinheiro por meio das contas CC5 do Banestado aponta que 411 servidores públicos e 137 políticos participaram da movimentação financeira ilegal.

Segundo laudo da perícia, foram remetidos US$ 24 bilhões ao exterior entre 1996 e 2000. A maioria dos servidores envolvidos é formada por "laranjas".

Entre os políticos, a força-tarefa listou prefeitos, deputados e vereadores que concorreram nas eleições de 1998, 2000 e 2002, mas cujos nomes não foram divulgados porque as investigações não estão concluídas.

A evasão de divisas foi constada por meio de cruzamento dados com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e os TREs (Tribunal Regional Eleitoral).

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pelo procurador-geral da República, Cláudio Fonteles, que fez um balanço dos trabalhos da força-tarefa, formada por integrantes do Ministério Público Federal, Banco Central, da Polícia Federal, Receita Federal e da CPI instalada no Congresso.

Fonteles afirmou que o envio da base de dados das investigações à Receita possibilitou a identificação de sonegadores e provocou um aumento das autuações fiscais da ordem de R$ 3 bilhões.

Os 411 servidores federais, de acordo com as investigações, movimentaram cerca de R$ 460 milhões em 2001, embora seus rendimentos no mesmo período fossem da ordem de R$ 307 milhões.

O cruzamento entre os rendimentos declarados ao Fisco por esses contribuintes e sua movimentação via CC5 indica uma variação patrimonial que representa sonegação fiscal de cerca de R$ 15 milhões.

Histórico

A força-tarefa funciona desde maio do ano passado e desde então já denunciou 375 pessoas em Curitiba e outras 68 em Foz do Iguaçu, o que resultou em 16 condenações, sendo três delas com sentença transitada em julgado (que não cabe mais recurso).

Foi pedido o seqüestro de bens de 109 pessoas e arrestados bens no valor de mais de R$ 107 milhões. Não estão incluídas nesse valor as quantias arrecadadas com fianças, que em alguns casos foram elevadas, como, por exemplo, os R$ 700 mil pagos pelo gerente de um Banco do Paraguai.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA NO HARAS
Vaqueiro morre ao ser arrastado por boi durante vaquejada, em Paranatama; veja vídeo
Foto: Divulgação/Instagram LUTO NA MÚSICA
MC Kevin morre aos 23 anos no Rio de Janeiro
SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho