Menu
SADER_FULL
terça, 14 de julho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Força-tarefa investiga 500 por "lavagem" de dinheiro

3 Set 2004 - 08h59
Balanço divulgado hoje por força-tarefa que investiga "lavagem" de dinheiro por meio das contas CC5 do Banestado aponta que 411 servidores públicos e 137 políticos participaram da movimentação financeira ilegal.

Segundo laudo da perícia, foram remetidos US$ 24 bilhões ao exterior entre 1996 e 2000. A maioria dos servidores envolvidos é formada por "laranjas".

Entre os políticos, a força-tarefa listou prefeitos, deputados e vereadores que concorreram nas eleições de 1998, 2000 e 2002, mas cujos nomes não foram divulgados porque as investigações não estão concluídas.

A evasão de divisas foi constada por meio de cruzamento dados com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e os TREs (Tribunal Regional Eleitoral).

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pelo procurador-geral da República, Cláudio Fonteles, que fez um balanço dos trabalhos da força-tarefa, formada por integrantes do Ministério Público Federal, Banco Central, da Polícia Federal, Receita Federal e da CPI instalada no Congresso.

Fonteles afirmou que o envio da base de dados das investigações à Receita possibilitou a identificação de sonegadores e provocou um aumento das autuações fiscais da ordem de R$ 3 bilhões.

Os 411 servidores federais, de acordo com as investigações, movimentaram cerca de R$ 460 milhões em 2001, embora seus rendimentos no mesmo período fossem da ordem de R$ 307 milhões.

O cruzamento entre os rendimentos declarados ao Fisco por esses contribuintes e sua movimentação via CC5 indica uma variação patrimonial que representa sonegação fiscal de cerca de R$ 15 milhões.

Histórico

A força-tarefa funciona desde maio do ano passado e desde então já denunciou 375 pessoas em Curitiba e outras 68 em Foz do Iguaçu, o que resultou em 16 condenações, sendo três delas com sentença transitada em julgado (que não cabe mais recurso).

Foi pedido o seqüestro de bens de 109 pessoas e arrestados bens no valor de mais de R$ 107 milhões. Não estão incluídas nesse valor as quantias arrecadadas com fianças, que em alguns casos foram elevadas, como, por exemplo, os R$ 700 mil pagos pelo gerente de um Banco do Paraguai.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

VITIMA DA COVID 19
Cantor morre de covid-19 após sogro e sogra; esposa está em isolamento
CAOS NA SAUDE
MT está perdendo a guerra para o coronavírus; nós subestimamos a doença
TRAGEDIA NO CONDOMÍNIO
Adolescente que matou amiga treina tiro esportiva há 3 anos com o pai
VIOLENCIA DOMESTICA
Mulher tem rosto desfigurado após ser agredida e pisoteada pelo marido bêbado
CORONAVIRUS AVANÇA
Brasil tem 72.234 mortes por Covid-19, segundo consórcio de veículos da imprensa em boletim das 13h
BONITO - DICAS AGÊNCIA
Como fazer Snorkel em Bonito MS, o que ver, o que fazer e o que não!
PANDEMIA CORONAVIRUS
Filho de ex-jogador famoso vende geleias e não vê o pai há nove anos
SOB INVESTIGAÇÃO
Maria Aldenir lutou com assassino, mas viu a filha ser morta com 24 facadas
AVANÇO DA PANDEMIA
Mais 903 casos e 33 mortes por coronavírus foram registrados em 24h em MT
BRASIL - 71.515 MORTES
Brasil tem 1.842.127 casos de Covid-19, aponta consórcio de veículos da imprensa em boletim das 8h