Menu
SADER_FULL
sexta, 14 de maio de 2021
Busca
Brasil

Filipino pode ser o primeiro "serial killer do Facebook"

27 Jul 2010 - 15h42Por Redação Terra
A polícia das Filipinas prendeu um suspeito de ser o primeiro serial killer a buscar suas vítimas numa rede social. Mark Zamora Dizon, um técnico de computadores de 28 anos, buscou pelo menos parte de suas vítimas no Facebook, segundo afirmou o superintendente da polícia, Danilo Bautista à agência Associated Press.

De acordo com Bautista, Dizon é suspeito de ter assassinado seis filipinos, um americano, um sul-afericano e um britânico em três diferentes roubos a hotéis e casas na cidade de Angeles, a cerca de 80 quilômetros de Manila, a capital do país. Ele foi preso quando estava na companhia do pai, na cidade de San Fernando.

Ele é amigo no Facebook da filha de uma das vítimas, informou a polícia. Na rede social, usava o nome falso de Michael Mitchell, e, diz o chefe de polícia, Arturo Cacdac, ao jornal The Phillipine Manilla, procurou conhecer suas vítimas antes dos crimes.

De acordo com a polícia, Dizon escolheu suas vítimas entre estrangeiros e é "obcecado" por gadgets (aparelhos eletrônicos). Ele nega o envolvimento nos crimes, disse ainda a polícia.

A série de assasinatos começou no último dia 12, quando o sul-africano Geoffrey Allan Bennun, 60 anos e sua namorada filipina, Abegail Helina, foram mortos a tiros em um quarto de hotel. Quatro dias depois, o sul-afericano James Bolton Porter, 51, e a namorada foram assassinados em casa.

Dizon roubou vários bens de Bennun, inclusive um notebook, uma câmera e um celular, recuperados pela polícia numa casa de penhores. Câmeras de vigilância da loja flagraram-no com o material roubado.

Na semana passada, a vítima foi o veterano militar americano - os Estados Unidos mantinham uma base, atualmente desativada, próxima à cidade - Albert Mitchell e sua mulher, Janet Andrenada, 53, e mais três empregados da casa, Isabel Fajardo, Marissa Prado e Yulberto Catli. Janet e os empregados eram filipinos.

Uma caçada policial foi montada, mas o o suspeito foi identificado graças a um amigo da família de Albert Mitchell, que achou o retrato-falado - feito por duas testemunhas do último crime - parecido com um amigo da filha do ex-militar no Facebook. A polícia mostrou a foto às testemunhas, que reconheceram Dizon.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada