Menu
SADER_FULL
terça, 11 de maio de 2021
Busca
Brasil

Faltam remédios para transplantados no Estado

14 Ago 2004 - 09h47
Cerca de 380 pacientes transplantados de Mato Grosso do Sul estão sem medicamentos importantes para evitar rejeição nos transplantes de rim, fígado e coração.

Os remédios que estão em falta são o “Cell cept” e o “Progaf”, que eram entregues pela Casa da Saúde, em Campo Grande. O custo de cada medicamento é, em média, mais de mil reais a caixa. De acordo com o presidente da Associação dos Renais Crônicos e Transplantados (Recromassul), Gesilvado Carlos, está sendo feita alteração do “Progaf” pelo “Cicrosporina”.

“Quem é medicado com o “Progaf”, geralmente o organismo não aceitou o “Cicrosporina”.

Outro problema que afeta quem ainda faz hemodiálise é o “Hemax” , que já está acabando, segundo o presidente da Recromassul. Aqui no Estado, são mais de mil pacientes na fila da espera por transplante.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde, os remédios devem ser entregues na semana que vem. “Para quem precisa de dois comprimidos por dia, a espera pode ser comprometedora”.
 
RMT Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias
PÉSSIMA PROJEÇÃO
Covid-19: Brasil deve alcançar 575 mil mortes em 1º de agosto, diz instituto