Menu
SADER_FULL
domingo, 13 de junho de 2021
Busca
Brasil

Falta de registro deixa vulneráveis 90% do patrimônio histórico

11 Jan 2010 - 08h45Por Agência Brasil

A recuperação de edificações com valor histórico depende da existência de registros documentais e fotográficos dos diversos aspectos da estrutura e estética do imóvel, o chamado levantamento cadastral.

Em caso de acidentes, são essas informações que vão guiar os trabalhos de restauração ou até a reconstrução do patrimônio. Entretanto, segundo coordenador geral de projetos da Defesa Civil do Patrimônio Histórico (Defender), Telmo Padilha, 90% do patrimônio histórico do país não disdpõem desse levantamento.

Caso essas edificações sejam destruídas incêndios ou enchentes, estarão completamente perdidas. A Defender é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) gaúcha que atua desde 2002 na defesa do patrimônio histórico e artístico.

A inundação que deixou o município paulista de São Luiz do Paraitinga submerso e danificou construções do século 19 deve servir de alerta para que sejam catalogados outros sítios históricos como forma de proteger o patrimônio, na avaliação de Padilha.

“Existem países que passaram por guerras, que foram totalmente destruídos e reconstruíram”, ressaltou.

Sobre São Luiz do Paraitinga, o Instituto Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) informou que, como o processo de tombamento do conjunto arquitetônico da cidade estava em estado avançado, as construções foram registradas e catalogadas.

Em pouco tempo o conjunto do município poderia integrar o grupos dos cerca de 100 sítios urbanos tombados pelo instituto.

Isso é diferente do que acontece na capital do estado, onde, de acordo com o presidente da Associação Preserva São Paulo, Jorge Eduardo Rubies, milhares de imóveis de valor histórico e arquitetônico não recebem qualquer tipo de proteção. “

O patrimônio histórico aqui de São Paulo está ameaçado, é mal cuidado, pouco valorizado, a situação é realmente muito ruim”, afirmou em entrevista à Agência Brasil.

Segundo Rubies, a valorização das áreas onde estão localizados imóveis de importância histórica acaba fazendo com que essas propriedades sejam adquiridas por grandes empresas que depois derrubam as edificações e usam os terrenos para outros fins.“

A especulação imobiliária é a grande responsável pela destruição do patrimônio histórico, porque eles não tem o menor interesse em preservar, querem destruir tudo mesmo”, disse.

Os tradicionais conjuntos habitacionais operários da Mooca, na zona leste, estão sendo demolidas, segundo Rubies, para a construção de megacondomínios. “

São uma coisa que a gente considera uma excrescência no tecido urbano da cidade, porque esses megacondomínios arrasam quarteirões inteiros para construir essas torres fortificadas totalmente separadas da cidade, não têm um diálogo com a cidade”, destacou.

O setor imobiliário, acrescentou Rubies, usa o poder financeiro para influenciar a esfera política e realizar esse tipo de modificação na estrutura urbana. Ele relembrou a cassação de 16 vereadores determinada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) por receberem doações irregulares da Associação Imobiliária Brasileira (AIB).

Telmo Padilha lembra que existe o conceito equivocado de que substituir construções antigas por obras mais modernas é uma forma de desenvolvimento. “A velocidade da destruição do patrimônio é diretamente proporcional ao que se chama de progresso”.

O metrô paulistano, aponta Jorge Rubies, arrasou dezenas de imóveis de valor histórico durante a sua construção e continua derrubando na sua atual expansão. O que, segundo o presidente da Preserva São Paulo, não seria necessário. “

Somos defensores incondicionais do metrô. Mas por exemplo, em Paris foi construído um metrô enorme e se preservou tudo de importante na cidade”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CÓDIGO DE TRÂNSITO
Mudanças no código de trânsito brasileiro e suas implicações para motoristas
ESPORTE PELO MUNDO
Em fase artilheira no Cazaquistão, lateral Bryan, ex-Cruzeiro, valoriza presença e relacionamento
FOTO: Só Notícias / Luan Cordeiro / ASSESSORIA COPA AMÉRICA 2021 - NO BRASIL
COPA AMÉRICA: Confira as 06 Seleções que jogarão na Arena Pantanal
biden vacinas capa 696x487 SOLIDARIEDADE
Biden anuncia que vai mandar vacinas para o Brasil e outros países
FENÔMENO RARO
Junho tem Eclipse Solar, Lua de Morango e dia mais longo do ano
PROTESTOS PELO BRASIL
29M pelo fora Bolsonaro chegou a mais de 200 cidades e ganhou as redes sociais
ATENTADO AO PUDOR
Prostitutas exibem partes íntimas no meio da rua, moradores reclamam, Vídeos
NA BRONCA
Bolsonaro aciona STF contra decretos estaduais que impõem restrições para conter Covid-19
BARBÁRIE
Homem encontra partes do corpo do filho em rio
FENÔMENO RARO
Super Lua de Sangue e Eclipse total acontece nesta quarta