Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 1 de agosto de 2021
Busca
COMERCIALIZAÇÕES

Exportações de MS crescem 51% e alcançam US$ 2,2 bi

15 Out 2010 - 07h27Por Diário MS

As exportações sul-mato-grossenses continuam em franca expansão. Conforme dados da Balança Comercial Brasileira, divulgados nesta semana pelo Ministério do Desenvolvimento, o volume de negócios de MS com o mercado internacional apresentou um crescimento de 51,3% nos primeiros nove meses de 2010, se comparado com o mesmo período de 2009.
De janeiro a setembro, o Estado já exportou US$ 2,219 bilhões. A média diária de exportações chega a US$ 8,2 milhões. No mesmo período do ano passado, o volume de comercializações com o mercado externo foi de R$ 1,466 bilhão.
Apenas em setembro, as exportações de MS evoluíram 71%, em relação ao mesmo período do ano passado. O Estado enviou para os compradores do exterior o equivalente a 295,5 milhões de dólares, valor que supera em 123 milhões de dólares o registrado no mesmo mês do ano passado.

MUNICÍPIOS
Entre os municípios, Três Lagoas manteve a liderança no ranking de exportações. Conforme dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, de janeiro a setembro deste ano, o município remeteu ao exterior US$ 507,4 milhões em mercadorias. O valor exportado pelo município é quase três vezes maior do que o total comercializado com o mercado internacional no mesmo período do ano passado. O crescimento das exportações de Três Lagoas tem sido puxado pela celulose, que é o principal produto exportado pelo município.
Ainda segundo os números do Ministério do Desenvolvimento, a segunda colocação no ranking de exportações no Estado é ocupada por Corumbá, que puxado pelas remessas de minério de ferro acumula no ano negócios de US$ 304,9 milhões com o mercado internacional.
Campo Grande aparece como o terceiro maior exportador, com um volume de exportações que supera os US$ 230,3 milhões. As exportações da capital estão baseadas especialmente na comercialização da carne bovina. Dourados ocupa agora a quarta colocação no ranking, com um volume acumulado de US$ 96,3 milhões. O montante é 16,3% maior do que os US$ 82,8 milhões exportados no mesmo período do ano passado. O quinto lugar do ranking é ocupado por Ponta Porã, com US$ 92,5 milhões, seguido de Naviraí, que já vendeu ao exterior US$ 81,2 milhões.

IMPORTAÇÕES
As importações feitas pelo Estado somaram US$ 329,8 milhões em setembro, o que significa um aumento de 67% em comparação aos US$ 197,2 milhões em produtos comprados de fora do país no mesmo período do ano passado. No ano, o volume de compras externas feitas por Mato Grosso do Sul acumulou 2,4 bilhões de dólares entre janeiro e setembro, com crescimento de 16% sobre o mesmo intervalo de tempo de 2009. Comparado ao resultado das exportações, o montante de importações indica um resultado negativo para a balança comercial de 200 milhões de dólares entre janeiro e setembro. Em Dourados, as importações acumulam um montante de US$ 18,3 milhões, o que representa 100% de crescimento. Entre os principais produtos adquiridos pelo município no mercado externo estão o cloreto de potássio, superfosfato e diidrogeno, que são utilizados para a produção de fertilizantes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CÃOPAINHA
Cachorro toca campainha após ficar trancado fora de casa
SONHO INTERROMPIDO
Ultimo ensaio fotográfico minutos antes de médico sofrer choque e morrer nas vésperas de casamento
OLIMPÍADA
Rebeca é prata e faz história na ginástica olímpica em Tóquio
FENÔMENO DA NATUREZA
Chuva de meteoros será visível na madrugada de quinta para sexta em todo Brasil
A CASA CAIU
Mulheres se unem e surram "valentão" flagrado agredindo ex no meio da rua
CRISE HÍDRICA
Novas fontes preparam MS para a crise hídrica, ressalta governador
ABAIXO DE ZERO
Com -8,6°C, SC registra a menor temperatura do Brasil em 2021, diz Inmet
COVID-19
Em dia de aumento de casos Brasil tem 1.333 óbitos por Covid - 19 nas últimas 24 horas
CONCURSO PÚBLICO
Caixa Econômica convocará 9 mil de concursos e abre mais mil vagas
BRASIL - 550.502 MORTES
Covid-19: país ultrapassa 550 mil mortes e tem 19,7 milhões de casos