Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 27 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

EUA posicionam militares e congelam US$ 30 bilhões da Líbia

28 Fev 2011 - 17h44Por Folha Online

Os Estados Unidos congelaram US$ 30 bilhões [R$ 49 bilhões] em ativos da Líbia depois das sanções impostas pela Casa Branca contra o regime do ditador Muammar Gaddafi na semana passada, informou nesta segunda-feira um alto responsável do Tesouro em Washington.

"Ao menos 30 bilhões de dólares foram bloqueados em virtude do decreto" assinado na sexta-feira (25) pelo presidente Barack Obama, informou à imprensa o secretário de Estado do Tesouro interino encarregado da luta contra o terrorismo e da inteligência financeira, David Cohen.

"É o maior congelamento de fundos jamais feito em virtude de um programa de sanções" nos Estados Unidos, completou Cohen.

 

  Suhaib Salem/Reuters  
Foto do ditador líbio, Muammar Gaddafi, queima em protesto em Benghazi, já controlada pela oposição
Foto do ditador líbio, Muammar Gaddafi, queima em protesto em Benghazi, já controlada pela oposição

O governo americano impôs na sexta-feira (25) sanções contra Gaddafi e quatro de seus filhos, congelando ativos e propriedades nos Estados Unidos.

Cohen declarou que mais sanções estão a caminho. "Estamos considerando aumentar a lista de indivíduos" afetados por essas sanções, declarou.

CERCO MILITAR

Também hoje, o Pentágono anunciou que as Forças Armadas dos EUA estão reposicionando equipes navais e aéreas nos arredores da Líbia. A medida foi anunciada depois de a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, dizer que "nenhuma opção está fora da mesa" para encerrar a onda de violência no país africano --o que incluiria uma intervenção militar.

O porta-voz do Departamento de Defesa, coronel Dave Lapan, disse que a equipe de planejamento do Pentágono trabalha com várias opções e planos de contingência e, como parte desses, estava reposicionando suas forças.

Em entrevista a jornalistas, Lapan não quis dizer abertamente se os EUA consideram uma intervenção militar. Os EUA mantêm presença militar frequente no mar Mediterrâneo e tem dois porta-aviões mais ao sul, na área do golfo Pérsico.

"Nós temos planejadores trabalhando e vários planos de contenção e eu acho que é seguro dizer que como parte disso estamos reposicionando nossas forças para sermos capazes de dar esta flexibilidade assim que as decisões forem tomadas", disse.

Apesar do avanço da oposição líbia, que já controla a parte leste do país, Gaddafi se recusa a deixar o poder e atribui os protestos à rede terrorista Al Qaeda. Ele está cada vez mais isolado na capital Trípoli, que apesar da forte segurança registra protestos de oposição.

EXÍLIO

O exílio pode ser uma opção para o ditador líbio, Muammar Gaddafi, afirmou nesta segunda-feira o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

Ao ser questionado se os Estados Unidos iriam facilitar o exílio do ditador, diante dos apelos internacionais para que ele deixe o poder, Carney afirmou que isso "seria especulação" e que não comentaria.

O porta-voz afirmou ainda que os EUA estão discutindo formas de fechar o espaço aéreo sobre a Líbia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TURISMO 2021
Turismo 2021: O que esperar do Turismo Brasileiro no próximo ano?
SUA SAÚDE
Carnes de bichos selvagens podem transmitir parasitas, vírus e até matar
SEU BOLSO
Petrobras reajusta gasolina e diesel em 5% a partir desta quarta-feira
SONHOS INTERROMPIDOS
Pais perdem filho de 7 anos em tragédia na BR-376: "Passaram o dia montando a casa para receber ele"
AUXILIO POPULAÇÃO
Governo federal aprova auxílio emergencial para 196 mil pessoas
UTI LOTADAS
13 crianças com covid estão em estado grave em Cuiabá
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mãe descobre estupro ao desconfiar que filha de 12 anos tinha ciúmes do padrasto
VIRUS A SOLTA
Caixão com corpo que tinha identificação de risco biológico por Covid é achado em estrada
TRAGEDIA NA RODOVIA
Jovem fez vídeo antes de morrer em acidente no Paraná: 'Devagar, motora'
FATALIDADE
Padre cai de pedra em cachoeira e corpo é encontrado em poço