Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 14 de maio de 2021
Busca
Brasil

Estiagem afeta o rebanho no Mato Grosso do Sul

18 Ago 2010 - 16h51Por

A falta de chuvas e a ocorrência de ventos fortes, bastante comuns nesta época do ano, já tiram o sono dos pecuaristas de Mato Grosso do Sul. O problema é que o tempo seco reduz a oferta de pasto, o que pode provocar perda de peso nos animais. Por outro lado, o Sindicato Rural de Dourados orienta que o produtor seja precavido e faça um planejamento da produção, prevendo inclusive investimento extra em ração e suplemento.

Em Dourados, não chove há duas semanas, situação que só deve ser regularizada a partir da segunda quinzena de setembro. De acordo com o agrometeorologista da Embrapa Agropecuária Oeste, Cláudio Lazarotto, a temperatura deve continuar em elevação pelos próximos dias, inclusive com ventos fortes. "É um clima bastante típico do inverno e também do mês de agosto", explica. Não há previsão de chuvas para os próximos dias. De acordo com especialistas em Agronomia, a falta de chuvas não traz grandes problemas para a agricultura já que o milho, principal cultura de inverno, está em fase de colheita. O problema maior está mesmo na pecuária, devido à degradação do pasto provocada pela falta de chuvas e ventos fortes.

No entanto, o presidente do Sindicato Rural de Dourados, Marisvaldo Zeuli, lembra que o produtor deve ‘andar na frente’ e projetar a produção para evitar prejuízos. "Este período de seca é muito comum e a produção cai mesmo. Por isto, o produtor precisa estar preparado e atuar sempre com planejamento", diz ele. O primeiro passo, segundo o especialista, é respeitar a capacidade do pasto para que não falte alimentação natural aos animais. Outra medida importante, segundo ele, é recorrer ao chamado ‘tratamento no cocho’, com oferta de suplementos como ração e alimentos ricos em proteínas e sais minerais. "Não há outra solução. O produtor precisa se planejar para manter o peso do gado e evitar prejuízos", acrescenta.

É o que faz o produtor Mauro Marcos Moraes, que atua na pecuária há pelo menos 15 anos. Ele é dono de uma propriedade no município de Terenos, onde cria em torno de 1.500 cabeças de gado. Segundo ele, neste período o custo de produção aumenta em pelo menos 25%, valor que inevitavelmente é repassado ao consumidor. "O produtor precisa investir e gastar mais para suprir a necessidade mínima do animal e evitar que este perca peso nesta fase de pouca pastagem", explica. Ele lembra que a falta de chuvas e a ocorrência de ventos fortes prejudicam muito a pastagem, situação que não ocorreu ano passado. "Além de prejudicar a manutenção do animal, eleva muito o custo de produção", reclama.

AGRICULTURA

Com relação à agricultura, o tempo seco pouco tem interferido no desempenho das lavouras. Segundo a Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Dourados (Aeagran), nem mesmo a chegada de frentes frias e a ocorrência de pequenas geadas podem interferir nesta fase da produção.

O milho safrinha, principal cultura de inverno, já está em plena colheita, que deve ser concluída até o final deste mês. A expectativa para este ano é de safra recorde, já que a primeira etapa colhida no Estado teve índices de produtividade considerados excelentes, alcançando até 90 a 100 sacas por hectare. Para a segunda etapa, que está sendo colhida agora, a produtividade apresenta uma pequena queda devido à estiagem na fase de enchimento de grãos. No entanto, ainda assim os índices podem ser considerados muito bons, em torno de 60 a 70 sacas de milho por hectare. Já o trigo e a aveia também estão em fase bastante avançada de desenvolvimento. Estas culturas, assim como o milho, são bastante resistentes ao clima típico do inverno.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada