Menu
SADER_FULL
terça, 2 de junho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Eraldo Leite diz que Lula quebrou promessa feita a prefeitos

8 Mai 2007 - 04h11

O presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Eraldo Jorge Leite (PSDB), disse nesta segunda-feira, que o presidente Lula quebrou a promessa feita aos prefeitos de pedir empenho da base aliada à aprovação da emenda constitucional que eleva em 1% o repasse do FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

Eraldo se referiu ao fato de o presidente Lula ter garantido reforçar o caixa das prefeituras, durante a 10ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, no entanto uma manobra do Palácio do Planalto culminou com a retirada da pauta de votação da Câmara dos Deputados da PEC que prevê o aumento do FPM.

“Nós saímos de Brasília otimistas, acreditando na palavra do presidente, depois vem a frustração, esperamos por isso há anos, essa é uma batalha antiga da CNM (Confederação Nacional de Municípios)”, lamentou o presidente da Assomasul, lembrando que Mato Grosso do Sul levou 42  prefeitos para participar da mobilização nacional, ocorrida no mês passado.

Eraldo Leite lamentou ainda o fato de alguns parlamentares sul-mato-grossenses terem votado pela retirada da pauta de votação da PEC que prevê o aumento do FPM. De acordo com o site da Câmara dos Deputados, apoiaram a votação imediata da matéria que beneficia os municípios os deputados Waldemir Moka e Nelson Trad (PMDB), Waldir Neves (PSDB) e Geraldo Resende (PPS).

A equipe econômica do governo constatou, de forma tardia, que o projeto prevê que o novo valor deve vigorar imediatamente após a sua aprovação e não apenas em dezembro --como previsto no projeto original.

Segundo líderes governistas, não há recursos para sustentar o reajuste por tanto tempo no caixa do governo.

Casa a matéria seja aprovada ainda este ano, as prefeituras brasileiras vão receber uma injeção financeira de R$ 1,3 bilhão.

O FPM é repassado a cada dez dias do mês (10, 20 e 30), fruto de 22.5% da arrecadação do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e do IR (Imposto de Renda).

A emenda constitucional garante repasse único de 23.5% da receita dos dois impostos, serie uma espécie de 13% salário às prefeituras.

Esse dinheiro serviria para os prefeitos terem um fôlego financeiro no fim do ano, geralmente quando as prefeituras gastam duas receitas para pagar o mês de dezembro e o 13º salário dos servidores públicos municipais.

 

Assomassul

Deixe seu Comentário

Leia Também

AUXÍLIO EMERGENCIAL
Caixa LIBERA 2ª parcela do auxílio de R$ 600 em contas dos beneficiários, veja os meses
ABSURDO
Médica relata ter sofrido agressões por parte de frequentadores de 'festas de corona'
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Menino de 9 anos, acidentalmente mata irmã de 7 anos com espingarda
TRAGEDIA NA RODOVIA
Mulher gravida e marido morrem e criança fica ferida em acidente trágico
PANDEMIA CORONAVIROS
Vai ser ''um massacre'', diz ex-diretor da Saúde sobre flexibilizar isolamento
BOA NOTICIA
Bolsonaro diz que auxilio emergencial pode ter quarta parcela, mas pagando menos
PRAZO MÁXIMO
Acordo prevê máximo de 20 dias para análise de auxílio emergencial
FÁTIMA DO SUL - BOLETIM CORONAVÍRUS
BOLETIM: Fátima do Sul tem mais 04 casos confirmados, sobe para 69 e tem 12 pacientes recuperados
EPICENTRO DA COVID-19
Brasil aproxima de 30 mil mortes pela Covid-19
MEMORIAL
Os brasileiros que perderam a vida na Pandemia do Coronavírus