Menu
SADER_FULL
domingo, 24 de maio de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Energia da cana já é quase igual à da água em volume

30 Mar 2007 - 05h03
 

O  crescimento da cana-de-açúcar na geração de energia no país foi o principal destaque do Balanço Energético Nacional (BEN) de 2006, divulgado nesta quinta-feira (29) pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Segundo os dados apurados no ano passado, a produção de etanol, que atingiu 17,8 bilhões de litros (crescimento de 10,8% na comparação com 2005) teve impacto direto na oferta de energia no país no ano passado. Considerando todas as formas de energia (renovável e não renovável), os produtos de cana-de-açúcar chegaram a quase igualar o volume de energia hidráulica, gerada a partir da água, na matriz energética.

Enquanto o álcool e bagaço derivados da cana-de-açúcar cresceram juntos 9,7%, a energia hidráulica cresceu 3,7%. Isso significa que os produtos da cana ocupam hoje fatia de 14,4% da energia gerada no país, contra 14,6% da energia hidráulica.

Os derivados de petróleo lideram o bolo da matriz energética, com 38,8% (o mesmo que em 2005), seguido por lenha e carvão vegetal (12,4% ante 13% no ano anterior) e gás natural (9,5%, mesmo porcentual de 2005).

No caso específico da geração de energia elétrica, a cana-de-açúcar (que representa entre 70% a 80% da biomassa usada para essa finalidade no país) também teve crescimento acima do esperado. A energia gerada por biomassa cresceu 7,1%, passando de 18,3 Twh para 19,6 Twh.

Gás na mesma


A produção de gás natural no mercado nacional em 2006 permaneceu exatamente a mesma do que em 2005. De acordo com os dados que constam no balanço, a produção nacional de gás no ano que passou foi de 48,5 milhões de metros cúbicos por dia, dos quais chegaram ao mercado efetivamente 27 milhões de metros cúbicos (200 mil metros cúbicos a mais do que em 2005).

Segundo o BEN, dentro da oferta de energia elétrica, o gás natural teve sua participação reduzida em 3,1%, por conta de muitas usinas não terem sido despachadas pelo Operador Nacional do Sistema (ONS) devido ao nível elevado dos reservatórios de água. Já especificamente com relação à geração termoelétrica no país, que cresceu em 7,4% em 2006 sobre 2005, a participação do gás se manteve estável em 25,9%, perdendo o primeiro posto para a energia térmica gerada a partir da biomassa, que ficou com uma fatia de 27,8%. Ainda na geração térmica, a energia nuclear participa com 19,6%, derivados de petróleo com 16,2% e carvão vegetal com 10,5%.

Petróleo


A participação do petróleo e seus derivados na matriz energética se manteve estável em 2006 ante o ano anterior, mas a produção do combustível fóssil em território nacional cresceu 5,3% no ano que passou. A produção de petróleo cresceu 5,6%, enquanto a de derivados teve acréscimo de 0,9%. O aumento da produção nacional permitiu uma redução de 4,7% nas importações do petróleo.


 

G1

Deixe seu Comentário

Leia Também

ELEIÇÕES 2020?
Talvez seja inevitável adiar eleições municipais, diz Barroso
BRASIL 22.165 MORTES
Covid 19: Brasil tem mais de 22 mortes e 341 mil casos
FEMINICÍDIO
Homem mata a própria companheira por causa do auxílio emergencial
ESTRAGOS DO MORO
Veja os principais pontos da reunião ministerial que teve gravação divulgada pelo STF
ENEM
Enem 2020 é adiado por causa da Covid
SOB INVESTIGAÇÃO
Delegado diz que namorada viu mensagens no celular atirou nele e se matou
VITIMA DA COVID 19
Edivaldo perdeu o filho de 26 anos: 'Falaram que em 15 dias ele já estaria recuperado'
3º EM NUMERO DE CASOS
Brasil passa de 19 mil mortes e 296 mil casos de coronavirus; veja por Estado
Qual estratégia de negócios é a melhor?
Qual estratégia de negócios é a melhor?
600TÃO DA CAIXA
Caixa paga hoje novos lotes de R$ 600; veja quem recebe