Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 29 de novembro de 2021
Busca
Brasil

Encontrados corpos de professores índios em Paranhos

4 Nov 2009 - 15h59Por Dourados News

Teriam sido encontrados em Paranhos os corpos dos professores indígenas da etnia guarani Olindo Verá e Genivaldo Verá. Eles estavam desaparecidos desde sábado (31 de outubro). A informação, segundo o cacique Irineu Verá é de que um agente de saúde encontrou os corpos.

O chefe do posto da Funai no local, Luiz Américo e policiais da PF seguem para o local onde os corpos teriam sido encontrados. A área fica distante 7 quilômetros da aldeia Pirajuí.

Casados e pais de família, eles sumiram após confronto com seguranças particulares na retomada da Fazenda São Luiz, que fica ao lado da Fazenda Triunfo, situada a 50 quilômetros da aldeia Pirajuí, que fica distante a 30 quilômetros da área urbana. Paranhos está distante a 470 quilômetros da Capital.

Confronto

Eram 18 índios contra seguranças particulares armados. Feridos vítimas de tiros de balas de borracha, os índios que conseguiram fugir, não souberam precisar o número de homens que os expulsaram da área, segundo informou o cacique Irineu Verá.

Há três dias a PF (Polícia Federal), de Naviraí, está no local e nesta manhã, os agentes acompanhados por índios, seguiram para a área, onde procuravam os professores na mata. Um comerciante da cidade de Paranhos cujo primeiro nome é ‘Toninho’ prestou depoimento à PF ontem à tarde no posto da Polícia Militar, usado como apoio nas investigações.

Chegou a ser ventilada a prisão do comerciante, mas segundo a PM, a PF trabalha de forma sigilosa e por ora não houve pessoas presas.

A Polícia Militar de Paranhos faz parte da área de atuação de Amambai. Segundo a corporação, os PMs não se envolvem em questões federais e por conta disso não foram imediatamento ao local logo que os professores desapareceram.

Os indígenas não registraram queixa de sumiço na Polícia da área. O motivo seria a falta de confiança. A rivalidade na fronteira por conta da disputa fundiária torna a situação tensa.

Esperança

“Já perdemos as esperanças. Pensei muita coisa desde o sábado, pensei que eles foram amarrados na mata pelos pistoleiros. A gente procura e não acha”, disse o cacique ao Midiamax nesta manhã antes de receberem notícia sobre o aparecimento dos corpos.

No dia do sumiço, a polícia da região não foi até a área. Somente após a imprensa divulgar a situação é que a PF foi acionada. Os agentes chegaram ao local ontem e foram direto para a fazenda, onde ouviram os moradores e deram início às investigações.

A área é uma das que estão em disputa na Justiça no processo de demarcação na fronteira do Brasil com o Paraguai. Somente estudos antropológicos poderão estipular o tamanho da área e se em Paranhos ela seria ou não de origem é guarani. São 4,5 mil índios que moram em cinco aldeias da região.

O dono da Fazenda São Luiz é Firmino Escobar, produtor rural de Amambaí.

Leia Também

COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 9,2 mil novos casos
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid-19: Brasil registra 303 mortes e 12.126 casos em 24 horas
DESESPERO
Vídeo: veja momento em que calçada cede e pessoas caem em rio
PÂNICO NO AEROPORTO
Vídeo mostra passageiros gritando e muito desespero em avião da Azul; veja
EMBOSCADA
Jovem morre após ser atingida por tiro na cabeça
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid -19 casos sobem para 22,043 milhões e mortes, para 613,3 mil
ESTUPRO DE VUNERALVEL
Menina de 11 anos conta para avô que é estuprada pelo padrasto
CRUELDADE
Justiça nega exame de insanidade a mulher que esquartejou filho
MANIACO SEXUAL
Homem é filmado passando a mão em mulher no meio da rua
+ AUMENTO
Conta de luz deve subir mais de 20% no ano que vem, estima ANEEL