Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 13 de maio de 2021
Busca
Brasil

Encerrada campanha “diga não às drogas” em Glória de Dourados

2 Jul 2010 - 17h38Por Demerval Nogueira / Fátima News

O Conselho Municipal Antidrogas; Conselho Tutelar; Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente; Polícia Militar; Polícia Civil; Poder Judiciário; Ministério Público; Prefeitura; Sasc; Cras; Creas; Proerd; escolas das três redes de ensino; igrejas; e seguimentos da sociedade organizada realizaram no encerramento do projeto “Diga Não às Drogas”, uma palestra que aconteceu no anfiteatro do Defap, sobre drogas lícitas e ilícitas, com a participação do palestrante Ubiratan Borges Daniel, assistente social da Casa da Cidadania de Campo Grande.

 

 

Com o auditório superlotado o palestrante falou sobre dependência química e psicológica, e disse por que é tão difícil parar de usar drogas, e argumentou, “isto vem do registro do cérebro através de forte desejo ou compulsão”. Borges falou também sobre o sistema de recompensa, dopamina e dificuldade em controlar o consumo. Comentou ainda sobre as principais características da alteração da personalidade na dependência química e traçou exemplos sobre essas características. Esmiuçou os casos mais propensos. Neste aspecto falou sobre a herança genética, personalidade, ambiente social e período de adolescência.

 

 

O palestrante dimensionou sobre diversas drogas, heroína, cocaína, maconha, crack, êxtase, pasta-base e outras drogas ilícitas. Comentou sobre drogas lícitas, caso específico do álcool e cigarros. Falou sobre modelos de tratamento, sendo clínico e psiquiátrico. Ele afirmou, “o primeiro processo é o da desintoxicação, depois as terapias de apoio, além do caps A/D e grupos de autoajuda”, disse Borges. Falou ainda do grupo Alcoólicos Anônimos (AA), surgido em Ohio (EUA), em 1935.

 

 

O palestrante descreveu a codependência familiar, as fases, negação, depressão, negociação ou barganha, raiva e aceitação. “O período da raiva é profundamente lamentável, porque os pais passam a ter amor e ódio ao mesmo tempo e, às vezes acaba abandonando o filho dependente químico”, enfatizou. Ele comentou ainda, “a rua é o maior fator de risco, portanto é necessário distribuir funções especiais aos filhos para evitar o contato constante com as ruas e, acima de tudo revelar mais amor aos filhos”. O assistente social afirmou também, “Glória de Dourados realiza um trabalho exemplar, digno de elogios. Por isto eu parabenizo as autoridades constituídas e comprometidas nesta causa, pela ação magnífica e benévola”.

 

 

Finalizando, o palestrante cravou a frase do compositor e intérprete Renato Russo. “É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã...”. Antes da palestra houve apresentações culturais do PETI; “Dose Mais Forte”, com o grupo teatral da IURD e das Glorinhas. Destacamos também, que no dia 26 de junho, Dia Mundial de Combate as Drogas, o Comad, Polícia Militar, CT, CMDCA entre outras entidades e seguimentos da sociedade realizaram blitz e panfletagens na Avenida Presidente Vargas, com as presenças do prefeito Arceno Athas Júnior, 1ª dama Mariângela Vieira Barbosa Athas, secretária do Comad, Marly Ardáia Fagundes entre outras autoridades municipais envolvidas no projeto “Diga Não às Drogas”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada