Menu
SADER_FULL
domingo, 12 de julho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Em quatro anos, obesidade cresceu 22% no Brasil

25 Jun 2010 - 06h15Por
A falta de hábitos saudáveis tem feito à população brasileira crescer em número de pessoas obesas. Pesquisa da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas, feita em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) foi divulgada esta semana pelo Ministério da Saúde e revela que quase metade da população brasileira tem excesso de peso (46,6%). As mulheres são as mais afetadas.
O estudo mostrou que o percentual de pessoas com excesso de peso aumentou de 42,7% para 46,6% entre 2006 e 2009. Do total de 54 mil adultos em todo o país que foram entrevistados pela pesquisa, entre os homens, 51% estão acima do peso, enquanto 42,3% das mulheres sofrem com o problema. A pesquisa verificou ainda que o percentual dos que sofrem de obesidade cresceu de 11,4% para 13,9% , no mesmo período.
Para a nutricionista Rita Mendes, coordenadora do curso de Nutrição da Unigran, este é um problema mundial. “O hábito de deixar de comer alimentos saudáveis para comer produtos industrializados é um dos principais fatores para o excesso de peso”, explica a professora. Preocupado com este problema que atinge a sociedade, a Unigran irá desenvolver tratamento personalizado com pessoas que sofrem da obesidade severa – quando o paciente está muito acima do peso e apresenta doenças.
A obesidade é definida como um distúrbio do metabolismo energético que leva a um excessivo ganho de gordura corporal e tem sido considerada como um sério problema de saúde pública, especialmente por estar associada a uma série de doenças graves como hipertensão arterial, cardiopatia, diabetes tipo 2, problemas pulmonares, aumento do colesterol e triglicérides e até mesmo câncer de estomago e próstata.
De acordo com a pesquisa, a maior prevalência de mulheres obesas está na faixa etária de 55 a 64 anos (21,3%). Porém, em um ano, a faixa etária de 18 a 24 anos foi a que concentrou o maior número de obesas. Em 2008, 3,5% das jovens com essas idades estavam obesas. Em 2009, o número quase dobrou.

TRATAMENTO
Com objetivo de proporcionar um tratamento sem medicamentos e incentivar a mudança do hábito alimentar e a prática de exercício físico, os cursos de Educação Física e Nutrição da Unigran vão promover o projeto de extensão “Tratamento não medicamentoso”, que atenderá pacientes com obesidade severa. Serão ofertadas de 10 a 15 vagas e a inscrição poderá ser feita no Núcleo de Nutrição da Unigran, no período vespertino. O Núcleo está localizado na Rua Antonio Emilio de Figueiredo, 1755, no centro de Dourados.
Será realizada uma entrevista com os interessados, onde será analisado o Índice de Massa Corporal (IMC), peso e disponibilidade do participante. O tratamento é gratuito e somente podem participar pacientes com obesidade severa. A equipe de Educação Física irá trabalhar como personal trainer e a de nutrição ficará responsável pela orientação alimentar e prescrição de dieta balanceada.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL - 71.515 MORTES
Brasil tem 1.842.127 casos de Covid-19, aponta consórcio de veículos da imprensa em boletim das 8h
MAIS UM
Vírus com potencial pandêmico é detectado pela Fiocruz no Paraná
VÍTIMAS DE COVID-19
Mãe de médico morre horas após o filho e dois dias após o pai, vítimas da covid
VÍTIMA DE COVID-19
Covid tira de cena um dos últimos montadores do carro brasileiro
CD TRIBUTO AO PADRE ZEZINHO
No ano em Padre Zezinho faz 79 anos, Manoel Caires lança seu primeiro CD 'Tributo ao Padre Zezinho'
PAGAMENTO DO AUXILIO
Confira o calendário para saque em dinheiro do auxílio emergencial
AUXILIO EMERGENCIAL
Governo vai liberar mais 1,5 milhão de auxílios. Saiba como reclamar se o seu for negado
NÚMEROS DA ÚLTIMAS 24H
Os números da covid-19 no Brasil, atualizados diariamente
RECUPERAÇÃO
Dinho Ouro Preto revela sequelas após covid-19, ele já teve gripe suína e dengue
SOS SAUDE
Em 24 horas, nove pessoas morrem em casa pela covid-19 sem atendimento médico