Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 27 de setembro de 2021
Busca
Brasil

Em plena Piracema, peixes aparecem mortos no Pantanal

31 Jan 2011 - 11h24

Vários estão aparecendo mortos não Rio Negro, na região do Pantanal de Mato Grosso do Sul. As causas das mortes ainda são desconhecidas.

Segundo informações do Sr. Urbano Vilalba, que mora há mais de 30 anos no Pantanal, onde administra uma fazenda, os peixes começaram a aparecer mortos, boiando no rio, desde o dia 26 de janeiro, em uma localização de aproximadamente 1 quilômetro acima da passagem da Fazenda Rio Negro, conhecida nacionalmente por sediar a novela “Pantanal”.

Urbano relata com a surpresa o acontecimento, pois para ele não se trata de um fenômeno natural como a decoada (acontecimento natural da região que provoca a deterioração da qualidade da água dos rios e conseqüentemente, a mortandade de peixes no Pantanal). “Nunca vimos nada igual”, confirmou Urbano.

No local, é possível ver diversas espécies de peixes do Pantanal: Pintado, Cachara, Dourado, Piranha, Tuvira, Sardinha e inclusive Arraias, Pacú, que são os últimos a morrerem devido ao seu hábito de circularem em águas mais profundas.

Amostras da água do Rio Negro foram coletadas e serão analisadas para saber quais são as causas da morte.

Leia Também

DESASTRE AÉREO
Diretor da UPA que sofreu acidente aéreo no Pantanal morre em hospital
COVID-19
Covid-19: Brasil tem 15,7 mil novos casos e 537 mortes em 24 horas
+ AUMENTO
Gasolina sobe pela 8ª semana seguida nos postos, aponta ANP
PAN AMERICANO JUNIOR
Atleta de MS carregará as cores do Brasil no vôlei de praia nos Jogos Pan-Americanos Júnior
LIÇÕES DA BÍBLIA
Prefácio de Deuteronômio
ROTA BIOCEÂNICA
Comissão mista homologa consórcio que vai construir ponte da Rota Bioceânica em MS
CASTELO DE AREIA
Idoso casa com prostituta 35 anos mais nova e flagra com outro
DOENÇA DO SÉCULO
Servidor público é encontrado pendurado em árvore
COVID-19
Ministra de Bolsonaro testa positivo para Covid e cancela agenda em Nova Andradina
ASSUSTADOR
Homem encontra boneca na parede com bilhete misterioso: "obrigada por me libertar"