Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 16 de agosto de 2022
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Em 7 meses, disque-denúncia recebe 3.494 ligações de mulheres agredida

3 Ago 2010 - 16h20Por Mídia Max (Com informações G1)

O serviço de denúncia Ligue 180, específico para receber queixas de violência doméstica contra a mulher registrou somente no Estado do Mato Grosso do Sul 3.494 ligações, no período de janeiro a julho deste ano. Segundo informações do IBGE de 2008, a população feminina no MS atinge 1.214.000, destas a cada 50 mil, 144 mulheres denunciaram as agressões.

A estatística que foi divulgada nesta terça-feira (3) pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, que criou a central em 2005, mostra que em todo o Brasil, o disque-denúncia, no primeiro semestre do ano, registrou um aumento de 112% de queixas comparando com o mesmo período do ano passado.

O Ligue 180 registrou 343.063 atendimentos nos sete primeiros meses de 2010 contra 161.774 nos mesmos meses de 2009.

Segundo o site G1, para o governo, o crescimento da busca pelo serviço "reflete um maior acesso da população a meios de comunicação, vontade de se manifestar acerca do fenômeno da violência de gênero, ao fortalecimento da rede de atendimento às mulheres e ao empoderamento da população feminina local".

Dos atendimentos registrados neste ano pelo telefone de denúncia, a maioria foi por crimes de lesão corporal. Em seguida, ameaças. Juntos, os dois tipos de queixas somaram 70% dos registros do Ligue 180. A Secretaria de Políticas para as Mulheres informou que esses crimes também são os mais registrados por mulheres nas delegacias.

Os dados mostram que o perfil de quem agride é semelhante com o de quem é agredida. A maioria das mulheres que ligou para a central tem entre 25 e 50 anos (67,3%) e nível fundamental de escolaridade (48,3%). Nas queixas, a maioria apontou que os agressores têm entre 20 e 45 anos (73,4%) e também nível fundamental de escolaridade (55,3%).

De acordo com a secretaria, das mulheres que registraram queixas, 72,1% vivem com o agressor, sendo que 57,9% são casadas ou têm união estável. Outros 14,7% denunciaram o ex-namorado ou ex-companheiro.

Considerando a quantidade de ligações por estado, São Paulo foi o que teve maior número de quiexas. Em segundo, Bahia e em terceiro lugar Rio de Janeiro. Quando a análise é feita considerando a quantidade de ligações a cada 50 mil mulheres de cada estado, o Distrito Federal fica em primeiro com 267 ligações a cada 50 mil mulheres. Em segundo, Tocantins, com 245 queixas e o Pará, com 237 fica em terceiro lugar.

Leia Também

MORADIA
Projeto cria programa para auxiliar professores na compra de casa própria
CARTÃO DE CRÉDITO
Um em cada três brasileiros foi vítima de fraude com cartão de crédito
ACIDENTE FATAL
Motociclista de 27 anos bate na traseira de trator e morre em vicinal
TRAGEDIA NA RODOVIA
Sete pessoas morrem e três ficam feridas em acidente entre caminhão e van
AUXILIO POPULAÇÃO
Governo libera empréstimo consignado para beneficiários do Auxílio Brasil
TRAGÉDIA
Carro explode durante abastecimento e amputa pernas de frentista
NOITE DE TERROR
Moradores relatam medo vivido em confronto com oito mortos
ACIDENTE DE TRABALHO FATAL
Trabalhador morre soterrado ao fazer limpeza em silo de grãos
AGRESSÃO NA ESCOLA
Mulher invade escola e espanca aluna a pauladas
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil ultrapassa o número de 680 mil mortos pela doença