Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 10 de agosto de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Eleitores têm até 26 de abril para regularizar o título

3 Abr 2007 - 04h25
Campo Grande, 26/03/2007 – 35.620 eleitores em Mato Grosso do Sul que deixaram de votar e de se justificar em três eleições consecutivas podem ter o título de eleitor cancelado pela Justiça Eleitoral. Desse total, 11.980 eleitores são da Capital.
 
A Justiça Eleitoral considera cada turno como uma eleição, assim estão sujeitos ao cancelamento todos os eleitores que não votaram e não justificaram nos dois turnos das eleições 2006 e ainda no Referendo de 2005.
 
O prazo para que o eleitor faltoso regularize encerra no dia 26 de abril. O eleitor faltoso deve comparecer a um cartório eleitoral (de preferência onde está inscrito) munido de documento de identidade, título eleitoral e, se for o caso, os comprovantes de justificativa ou de recolhimento de multa.
 
Quem não comparecer ao cartório, no prazo de 60 dias – ou seja, até 26 de abril, – para comprovar o exercício do voto, o pagamento da multa correspondente (entre R$1,06 e R$ 3,51) ou a justificação da ausência terá sua inscrição cancelada automaticamente. A relação dos títulos passíveis de cancelamento não inclui os eleitores facultativos que, por prerrogativa constitucional, não são obrigados a votar: analfabetos, maiores de 70 anos e os que têm entre 16 e 18 anos.
 
Para saber se está na lista de faltosos, o eleitor também pode acessar o link "consulta ao título de eleitor" na página do TSE na Internet ( www.tse.gov.br ). Vale destacar que os inadimplentes não serão convocados de forma individual, por telefone, carta ou e-mail.
 
Sanções
 
Além do risco de perder o título, o eleitor faltoso deixa de contar com alguns direitos essenciais à cidadania. Sem a prova de que votou na última eleição, pagou a multa respectiva ou de que se justificou devidamente, não pode tirar documentos de identidade, CPF ou passaporte, renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial, inscrever-se em concurso público, assumir cargo público, participar de concorrências em órgãos públicos, obter empréstimo na rede bancária oficial, praticar qualquer ato que exija quitação do serviço militar ou imposto de renda, e, se for servidor público, não recebe sequer o salário correspondente ao segundo mês subseqüente ao da eleição.
 
 
(Assessoria de Imprensa do TRE/MS)
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Entenda como o Paraguai tem 66 mortes por Covid-19 e o que MS deveria aprender
AUXILIO EMERGENCIAL
Apesar da falta de recursos, governo avalia prorrogar Auxílio Emergencial
OPORTUNIDADE NO MS
JBS oferece 600 vagas de emprego em 6 cidades de MS
VACINA COVID 19
Bolsonaro diz que vacina contra covid deverá estar disponível em dezembro
FALSIFICAÇÃO
Nota falsa de R$ 200 começa a circular
REABERTURA DO COMÉRCIO
Brasil e Paraguai podem reabrir comércio na fronteira em 10 dias, diz ministro
REINFECÇÃO EM ALERTA
Novo coronavírus tem segundas novas ondas de reinfecção e acendem sinal de alerta
FÁTIMA DO SUL - DICA CIA DO BICHO
Saiba o que são rações terapêuticas, Cia do Bicho destaca vários tipos, confira
BRASIL - 96.326 MORTES
Brasil tem 2.817.473 casos de Covid-19, indica consórcio de veículos da imprensa em boletim das 13h
EXPLOSÃO EM BEIRUTE
Libanês se emociona e diz: Parecia uma bomba atômica, que acabou com tudo