Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 14 de maio de 2021
Busca
Brasil

Educação especial de MS terá novas diretrizes em 2005

9 Ago 2004 - 16h33
O Conselho Estadual de Educação (CEE-MS) realiza amanhã, às 9 horas, no auditório da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems), em Campo Grande, mais uma audiência pública de normatização da educação especial no sistema de ensino de Mato Grosso do Sul. É a última oportunidade para instituições, associações, professores, pais, profissionais que atuam na área e demais interessados contribuir para o aperfeiçoamento da política de inclusão escolar das pessoas com necessidades educativas especiais.

A finalidade principal do evento é “ouvir a sociedade e conseguir mais parâmetros para atingir a inclusão em todas as escolas públicas e privadas”, afirma Eliza Cesco, presidente da Comissão de Reelaboração da Deliberação sobre a Educação Especial do Conselho Estadual de Educação.

A presidente acredita que participarão da discussão cerca de 500 pessoas. “Esse trabalho de adequar a deliberação para incluir pessoas com necessidades educativas especiais vem sendo realizado há um ano e seis meses. Agora já estamos na discussão final da adequação, para ser aprovada pelo conselho.”

Em Mato Grosso do Sul, as escolas estaduais já atendem 803 alunos com necessidades educativas especiais no ensino regular. A inclusão também é feita por escolas municipais (169 alunos) e particulares e filantrópicas (4.946).

Segundo Eliza Cesco, “após a aprovação da nova deliberação pelo CEE, a Secretaria de Estado de Educação (SED) será responsável pela implantação, acompanhamento e orientação da norma nas escolas de todo o sistema de ensino, que inclui escolas estaduais, municipais e particulares”.

Todos os debates e reuniões são determinados pela Resolução do Conselho Nacional de Educação e da Câmara de Educação Básica nº2, de 11 de setembro de 2001. O parágrafo único dessa medida estabelece que “o atendimento escolar desses alunos – que apresentam necessidades educativas especiais – terá início na educação infantil, nas creches e pré-escolas, assegurando-lhes os serviços de educação especial sempre que se evidencie, mediante avaliação e interação com a família e a comunidade, a necessidade de atendimento educacional especializado”.
 
Agência Popular

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada