Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 8 de julho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

É possível manter relação sadia com o Legislativo, diz Lula

5 Jul 2004 - 17h34
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje na solenidade de apresentação do balanço dos 18 meses de governo, que é possível haver uma relação sadia entre o Executivo e o Legislativo. Segundo ele, a formação de uma maioria parlamentar na Câmara e no Senado demonstrou a capacidade do governo de substituir "a política do é dando que se recebe" por programas de políticas públicas.

"Este é um compromisso do governo", acrescentou o presidente a ministros e parlamentares presentes na cerimônia realizada no Palácio do Planalto.

Lula aconselhou seus auxiliares e parlamentares da base aliada a não permitir que "críticas e insinuações, às vezes procedentes e outras não, possam mexer com a auto-estima de cada um".

O presidente destacou que é possível construir uma maioria parlamentar "quando há disposição para que ela exista da forma mais democrática possível".
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

SUSPEITOS COVID-19
Veja autoridades que se reuniram com Bolsonaro nos últimos dias, de acordo com a agenda oficial
ABSURDO
Indígena com Covid-19 sofre aborto espontâneo e recebe feto em garrafa de soro
VITIMA DA COVID 19
Após ficar 3 dias a espera de UTI Cacique xavante líder das causas indígenas morre com Covid-19
AUXILIO EMERGENCIAL
Caixa libera saques e transferências dos aprovados no terceiro lote nascidos em fevereiro
URGENTE - PRESIDENTE COM COVID-19
URGENTE: Bolsonaro testa positivo para coronavírus
PRESIDENTE NA LINHA
Bolsonaro está com sintomas de covid-19 e aguarda resultado de exame
CICLONE BOMBA
Efeitos do Ciclone: mais de 12 mil residências ainda estão sem energia elétrica
LIVE
Mulher de Porchat não foi a única: veja outros casos de nudez em lives
ECONOMIA
Nova gasolina a partir de agosto; combustível será mais caro, mas deixará veículos mais econômicos
SOS EDUCAÇÃO
Sem computador e sem dinheiro, alunos de baixa renda desistem do Enem