Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 28 de março de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

É possível manter relação sadia com o Legislativo, diz Lula

5 Jul 2004 - 17h34
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje na solenidade de apresentação do balanço dos 18 meses de governo, que é possível haver uma relação sadia entre o Executivo e o Legislativo. Segundo ele, a formação de uma maioria parlamentar na Câmara e no Senado demonstrou a capacidade do governo de substituir "a política do é dando que se recebe" por programas de políticas públicas.

"Este é um compromisso do governo", acrescentou o presidente a ministros e parlamentares presentes na cerimônia realizada no Palácio do Planalto.

Lula aconselhou seus auxiliares e parlamentares da base aliada a não permitir que "críticas e insinuações, às vezes procedentes e outras não, possam mexer com a auto-estima de cada um".

O presidente destacou que é possível construir uma maioria parlamentar "quando há disposição para que ela exista da forma mais democrática possível".
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

FÁTIMA DO SUL - ATENÇÃO COMÉRCIO
Em novo Decreto, confira o que vai poder abrir e permanecer fechando nesta segunda em Fátima do Sul
CORONAVÍRUS NO BRASIL
Justiça suspende trecho decreto de Bolsonaro que livra igrejas de quarentena
CORONAVÍRUS NO BRASIL
Senado votará na segunda auxílio de R$ 600 para trabalhadores
TRABALHO VOLUNTÁRIO
Detentas começam confeccionar máscara de proteção para atender Jateí, Vicentina e Fátima do Sul
COVID-19 NO BRASIL
Brasil tem 92 mortes e 3.417 casos confirmados de novo coronavírus, diz Ministério da Saúde
PANDEMIA CORONAVIROS
São Paulo tem 68 mortos por coronavírus, média de uma a cada 2 horas e 20 minutos, e 1.223 casos
LINHA DE CRÉDITO
Governo lança pacote de R$ 40 bi para socorrer pequenas e médias empresas
AMOR AO PROXIMO
Xuxa vai doar R$ 1 milhão ao SUS para combate ao coronavírus
77 MORTOS
Casos de coronavírus no Brasil em 27 de março
REFORÇO
Câmara aprova projeto que prevê R$ 600 por mês ao trabalhador informal por conta do coronavírus