Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 3 de julho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Dólar inicia em baixa atento ao avanço do petróleo

12 Ago 2004 - 09h59
Em dia de vencimento de dívida cambial, o mercado de câmbio iniciou os negócios em baixa. Ontem, as cotações foram pressionadas pela briga para a formação da Ptax (média oficial do dólar). Ela será utilizada na remuneração dos investidores na liquidação da dívida.

No começo da manhã, a moeda americana era negociada a R$ 3,03, com queda de 0,26%. O comportamento do petróleo no mercado internacional deve voltar a concentrar as atenções dos investidores. Ontem, o preço do barril ultrapassou os US$ 45. O ministro saudita do Petróleo, Ali al-Naimi, disse que o país está pronto para um aumento imediato da produção em 1,3 milhão de barris por dia a fim de impedir que os preços continuem em níveis recordes. Apesar da notícia, o barril em Nova York fechou em alta, cotado a US$ 44,80.

O confronto entre as tropas norte-americanas e iraquianas e insurgentes leais ao líder radical xiita Moqtada al Sadr voltou a pressionar as cotações nesta quinta-feira. O barril do petróleo cru para setembro atingiu US$ 45,03 no pregão eletrônico da Bolsa Mercantil de Nova York hoje.

Indicadores americanos.

De acordo com dados do Departamento do Trabalho dos EUA, o número de pedidos de auxílio-desemprego caiu em 4 mil na semana encerrada no dia 7 de agosto. Desde que o Fed (Federal Reserve, o banco central americano), elevou a taxa de juros para 1,5% ao ano, analistas afirmam que os dados referentes ao mercado de trabalho podem fornecer pistas sobre as futuras decisões da instituição.

Na semana passada, a criação de apenas 32 mil novas vagas ante uma expectativa de geração de 230 mil novos empregos decepcionou o mercado. Analistas chegaram a levantar a hipótese de manutenção da taxa de juros nos EUA diante do fraco desempenho do mercado de trabalho.

De acordo com a nota oficial da última reunião, a desaceleração no ritmo de melhora do mercado de trabalho nos últimos meses pode ser atribuída, em parte, ao aumento substancial dos preços de energia.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

PREVENÇÃO COVID 19
Giovanna Antonelli viraliza ao mostrar truque para evitar contaminação
FEMINICÍDIO
Marido é preso após matar mulher asfixiada e na fuga causa acidente de carro e deixa 08 feridos
BORA PRA BONITO - MS - REABERTO
Hotel Águas de Bonito reabre com segurança e estrutura proporcionada para o aconchego em Bonito (MS)
BRASIL - 62.045 MORTES
Brasil passa de 62 mil mortes pelo novo coronavírus
COISA MEDONHA
Homem quebra túmulo e é visto dançando com o corpo da avó
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Exército abre seleção com vagas temporárias para MS e salários de até R$ 7,5 mil
FÁTIMA DO SUL - NOSSOS ANJOS DA GUARDA
Guerreiros de Fátima do Sul fazem semana de prevenção contra incêndio, hoje é dia do BOMBEIRO
BRASIL 60 MIL MORTES
Brasil tem 1.456.969 casos de Covid-19, aponta consórcio de veículos da imprensa em boletim das 8h
ELEIÇÕES 2020
Câmara dos Deputados aprova em primeiro turno adiamento das eleições municipais de 2020
100 INTERMEDIÁRIO
Venda direta de etanol das usinas para postos pode aumentar concorrência, diz Bolsonaro