Menu
SADER_FULL
sábado, 31 de outubro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
SITIOCA ALVORADA
Brasil

Dólar fecha acima dos R$ 3,00 e Bovespa mantém alta

20 Jul 2004 - 16h13

O mercado financeiro doméstico operava com certa cautela nesta terça-feira. Depois de oscilar entre a máxima de R$ 3,012 e a mínima de R$ 2,997, o dólar comercial encerrou o dia acima dos R$ 3,00. A moeda norte-americana ficou cotada a R$ 3,002 na compra e R$ 3,005 na venda, com alta de 0,33%. Na bolsa paulista, o Ibovespa somava 22.286 pontos, às 16h32, com alta de 0,83%.  

A bolsa paulista, apesar de uma leve desaceleração, mantinha-se em alta após os comentários de Greenspan.

Profissionais do mercado consideraram que o chefe do BC norte-americano está otimista com os rumos da economia, o que sugere que a taxa de juros da maior economia do mundo continuará a subir gradualmente - um cenário positivo para países emergentes como o Brasil.

À espera da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre o juro básico brasileiro, na quarta-feira, apesar do consenso do mercado de que a taxa será mantida em 16% ao ano, o mercado também manteve cautela durante todo o dia.

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

TENTATIVA DE ESTUPRO
Vídeo mostra empresário assediando jovem na entrevista de emprego
PANE EM AVIÃO
'Sobrevivemos só com a água chuva', diz cantor de MT que ficou 24 dias na mata
PANDEMIA AINDA NÃO ACABOU
Pandemia avança e MS registra 555 novos casos de Coronavírus em apenas 24h
INCÓGNITA
Governo ainda não definiu como será o 13º de quem teve corte salarial
ANTICORPOS
Bebê nasce com anticorpos contra covid-19
Vítima contou violência sexual para a tia ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Idoso é denunciado por estuprar filha de amigos e a enteada
FENÔMENO DA NATUREZA
Evento raro: Lua Azul poderá ser vista no Dia das Bruxas
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa deposita auxílio emergencial nesta 5ª feira para nascidos em novembro
FOI MAL
Bolsonaro recua e revoga decreto que facilita privatização dos postos do SUS
90% RECUPERADOS
Brasil tem 158,4 mil mortes por covid-19 desde início da pandemia