Menu
SADER_FULL
segunda, 20 de setembro de 2021
Busca
Brasil

Dólar fecha a R$ 1,79, maior cotação desde setembro

17 Dez 2009 - 17h49Por G1

O dólar subiu ao maior patamar desde o final de setembro nesta quinta-feira (17), aproximando-se do nível de R$ 1,80 após uma jornada de ampla valorização da moeda norte-americana em todo o mundo.

O dólar comercial terminou o dia cotado a R$ 1,791, com alta de 2,34% sobre o fechamento da véspera. É a maior cotação de fechamento desde 29 de setembro, e a maior alta diária desde 22 de junho. No ano, porém, a queda do dólar frente ao real ainda supera 23%.

Dinheiro em circulação

A oferta excessiva de dinheiro em circulação no mercado internacional tem sido apontada como um dos fatores por trás do longo ciclo de queda do dólar durante o ano.  "O dólar se fortaleceu contra tudo", disse Moacir Marcos Júnior, operador da corretora Finabank. "O fundamento (da economia brasileira) é bom, mas se (o dólar se) fortalecer lá, aqui não fica diferente", acrescentou.

Em outras praças, a moeda avançava 1,04% perante uma cesta com as principais divisas, com destaque para o euro, que caía ao menor nível em mais de três meses.

A valorização do dólar favorece especialmente os investidores estrangeiros no mercado de dólar futuro e de cupom cambial. Na quarta-feira, eles mantinham US$ 6,8 bilhões em posições compradas na moeda norte-americana.

Medidas do governo

A alta do dólar também ameniza ainda mais a expectativa do mercado com possíveis medidas que o governo poderia tomar para tentar manter a cotação acima de R$ 1,70. A queda do dólar em 2009, além de afetar as exportações, provocou a revisão da estimativa de déficit nas transações correntes do país.

O BC agora espera um déficit de US$ 40 bilhões no ano que vem, ante previsão anterior de US$ 29 bilhões. Em novembro, o saldo negativo atingiu US$ 3,289 bilhões, contra US$ 951 milhões no mesmo mês do ano anterior.

"Somos muito mais pessimistas que o BC sobre o déficit nas transações correntes (em 2010), prevendo um aumento para US$ 55 bilhões", escreveu Paulo Leme, analista do banco de investimento Goldman Sachs, em relatório.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LUTO NA TV
Ator Luis Gustavo morre aos 87 anos, vítima de câncer
EM DECLINIO
Covid-19: Brasil registra 21,2 milhões de casos e 590,7 mil mortes
TSUNAMI NO BRASIL?
Brasil pode ser atingido por tsunami; entenda
SERPENTE
Rapaz de 18 anos é atacado por jararaca durante pescaria
TRIBUNAL DO CRIME
Traficantes enterram mulher viva para vingar denúncia
TEMPESTADE
Temporal derruba árvore sobre carros e deixa bairros no escuro
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: ministério registra 34,4 mil casos e 643 mortes em 24 horas
COMOÇÃO E REVOLTA
Menina de 5 anos é morta com tiro na cabeça enquanto caminhava para comprar lanche
CEF de Fátima do Sul OPORTUNIDADE
Caixa abre concurso com salários de mais de R$ 3 mil; confira
QUASE 600 MIL MORTES
Covid-19: mortes sobem para 588,5 mil e casos, para 21,03 milhões