Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 5 de dezembro de 2021
SADER_FULL
Busca
Brasil

Dólar fecha a R$ 1,75; Bovespa perde 0,40%

15 Dez 2009 - 17h04Por Folha Online

A moeda americana teve um repique na jornada desta terça-feira após três dias consecutivo de queda. A economia americana assustou um pouco os investidores, com uma alta acima do esperado da inflação no atacado. Amanhã, o banco central americano anuncia a nova taxa básica de juros desse país.

O dólar comercial foi vendido por R$ 1,754, em alta de 0,57%, nas últimas operações desta terça-feira. Os preços da moeda americana oscilaram entre R$ 1,768 e R$ 1,749. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo foi cotado por R$ 1,860, em um avanço de 0,54%.

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) sofre queda de 0,40%, aos 69.071 pontos. O giro financeiro é de R$ 3,6 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York cai 0,37%.

Profissionais de mercado apontam que a proximidade do final de ano tem contribuído para esvaziar os negócios, ao mesmo tempo que aumenta a volatilidade dos preços.

Hoje, a procura por moeda por agentes financeiros interessados em zerar seus compromissos financeiros antes do término do ano contribuiu para alguma pressão sobre as taxas de câmbio. "Isso ocorreu no mercado futuro mas também no câmbio comercial. E parece que dever alguma pressão de alta sobre dólar, pelo menos até o final do mês. É difícil que atinja R$ 1,80, mas o mercado mostra que a taxa não deve cair abaixo de R$ 1,73 ou R$ 1,75", comenta Marcos Trabold, operador da corretora B&T.

O Banco Central realizou leilão de compra e aceitou ofertas por R$ 1,7600 (taxa de corte). O Tesouro Nacional anunciou a reabertura de captação de recursos no exterior, por meio da emissão de títulos com prazo para janeiro de 2019. Segundo corretores, a notícia teve impacto restrito sobre a formação da taxa de câmbio, sem conhecimento do montante captado.

Juros futuros

O mercado de juros futuros, que sinaliza o custo do dinheiro para os bancos, voltou a puxar as taxas projetadas nos contratos de prazo mais longo.

No contrato que aponta os juros para outubro de 2010, a taxa prevista avançou de 9,78% ao ano para 9,83%, enquanto no contrato de janeiro de 2011, a taxa projetada subiu de 10,36% para 10,43%. Esses números ainda são preliminares e podem sofrer ajustes.

Leia Também

covid_04.12 COVID NO BRASIL
Covid-19: país tem 22,1 milhões de casos e 615,5 mil mortes
LIÇÕES DA BIBLIA
Deuteronômio em escritos posteriores
ABUSO DE AUTORIDADE
PM arrasta homem negro algemado em moto; "Como na escravidão", diz gravação
REVOLTANTE
Índia de 13 anos violentada pelo avô busca ajuda e acaba estuprada por 4 em unidade saúde
DOENTIO
Mulher descongela geladeira e encontra corpo de bebê escondido em sacola
PONTE BIOCEÂNICA
Ponte Bioceânica vai ganhar nova data de lançamento; Bolsonaro e Marito participam
AÇÕES DO GOVERNO MS
Com estados da região Sul, Azambuja quer integração ferroviária e união para redução de carbono
PIX SAQUE
Pix Saque começa hoje:comércio vê nova ferramenta como chamariz para clientes,mas teme por segurança
TRAGÉDIA NA LINHA DO TREM
vítima comemorou aniversário do marido um dia antes de morrer com a filha em acidente com trem
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 9,2 mil novos casos