Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 27 de setembro de 2021
Busca
Brasil

Dólar fecha a R$ 1,67 com atuação intensa do BC

21 Jan 2011 - 16h08Por Folha Online

A taxa de câmbio brasileira estabilizou em R$ 1,67 nesta sexta-feira, após desvalorizar por quatro dias consecutivos, num dia de atuação intensa do Banco Central.

A autoridade monetária marcou presença tanto no mercado à vista quanto no mercado futuro. No primeiro segmento, realizou dois leilões para compra de dólares -- por das 11h (hora de Brasília) e após as 15h30. Como de praxe, o BC não informa imediatamente o volume financeiro dessas operações, que somente são conhecidas com uma semana de atraso.

Entre 12h e 12h30, a autoridade monetária vendeu 20 mil contratos de "swap" cambial reverso, repetindo a iniciativa da semana passada, após um hiato de quase dois anos. Esse título é equivalente uma operação de compra de dólar no mercado futuro. O montante foi inteiramente absorvido pelos agentes financeiros.

Com esse contexto, o dólar comercial oscilou entre as cotações de R$ 1,676 e R$ 1,669, para encerrar o expediente desta sexta em R$ 1,675, em leve alta de 0,05% sobre o fechamento de ontem. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo foi cotado por R$ 1,780 para venda e por R$ 1,620 para compra.

Ainda operando, a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) perde 0,40%, aos 69.283 pontos. O giro financeiro é de R$ 4,2 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York avança 0,44%.

Nesta semana, o Comitê de Política Monetária elevou a taxa básica de juros para 11,25% ao ano e sinalizou que deve fazer o mesmo pelos próximos meses, para conter a alta dos preços. Analistas citam como um dos fatores que deprimem a taxa de câmbio o diferencial entre os juros domésticos (muito altos) e os juros externos (mais baixos), o que tende a se ampliar.

Além disso, as empresas brasileiras continuam a acessar o mercado externo, aproveitando o custo de capital mais baixo lá fora. Ontem à noite, a Petrobras anunciou a captação de US$ 6 bilhões, por meio da oferta de títulos com prazo de cinco, dez e 30 anos.

JUROS FUTUROS

No mercado futuro de juros, que serve de referência para o custo dos empréstimos nos bancos, as taxas previstas recuaram nos contratos de curto prazo.

No contrato para julho de 2011, a taxa projetada cedeu de 11,88% ao ano para 11,87%; para janeiro de 2012, a taxa prevista caiu de 12,38% para 12,37%. E no contrato para janeiro de 2013, a taxa projetada passou de 12,74% para 12,70%. Esses números são preliminares e estão sujeitos a ajustes

Leia Também

SOB INVESTIGAÇÃO
Amigos saem para pescar e encontram cadáver boiando em rio
DESASTRE AÉREO
Diretor da UPA que sofreu acidente aéreo no Pantanal morre em hospital
COVID-19
Covid-19: Brasil tem 15,7 mil novos casos e 537 mortes em 24 horas
+ AUMENTO
Gasolina sobe pela 8ª semana seguida nos postos, aponta ANP
PAN AMERICANO JUNIOR
Atleta de MS carregará as cores do Brasil no vôlei de praia nos Jogos Pan-Americanos Júnior
LIÇÕES DA BÍBLIA
Prefácio de Deuteronômio
ROTA BIOCEÂNICA
Comissão mista homologa consórcio que vai construir ponte da Rota Bioceânica em MS
CASTELO DE AREIA
Idoso casa com prostituta 35 anos mais nova e flagra com outro
DOENÇA DO SÉCULO
Servidor público é encontrado pendurado em árvore
COVID-19
Ministra de Bolsonaro testa positivo para Covid e cancela agenda em Nova Andradina