Menu
SADER_FULL
domingo, 20 de setembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Dólar deve continuar próximo a R$ 1,70, dizem analistas

18 Set 2010 - 10h00Por Terra
O dólar acumula sucessivas desvalorizações ante o real. Devido ao excesso de entrada de capitais no País, a moeda americana apresentou dez quedas consecutivas, sendo cotada a um valor próximo de R$ 1,70. Para quem pensa em viajar até o final do ano, a perspectiva é que a divisa continue neste patamar até o fim de 2010.

Economistas acreditam que a divisa americana deve seguir caindo devido à grande entrada de capital estrangeiro no Brasil e à capitalização da Petrobras, caso o Banco Central (BC) não interceda de forma mais abrupta. "O BC tem dado sinais de resistência à queda do dólar, está brigando para a moeda não cair mais, para não passar a barreira dos R$ 1,70", disse Marcos Tarabbold, gerente de operações da B&T Corretora.

"A questão é: até quando o Banco Central vai deixar a moeda cair? Ele já tem entrado no mercado para fazer compra de dólares no leilão à vista, e mais recentemente fez isso duas vezes ao dia, dando a entender que não quer que o dólar tenha cotação tão baixa", afirmou Felipe Pellegrini, gerente de operações da Confidence Corretora.

Apesar da possibilidade de intervenção do Banco Central, o dólar deve seguir depreciando-se ou mesmo mantendo este baixo nível perante o real, pois há muita entrada de capital estrangeiro no País.

"A tendência natural é de queda, pois há uma entrada muito grande de capital estrangeiro, que desvaloriza a moeda por uma questão de oferta e procura", afirmou Pellegrini.

Além das capitalizações, outros fatores também estão atraindo o investimento estrangeiro. "Há muito fluxo e excesso de entrada de dólares por conta das capitalizações e também da diferença de juros, pois em vez de deixar a moeda valorizando a 2% lá, pode deixá-la ganhando 10% aqui no Brasil", disse Marcos. Atualmente, o País possui a maior taxa de juros real (descontada a inflação) do mundo.

Além dos motivos diretamente financeiros e econômicos, a diminuição da preocupação do mercado em relação às eleições também contribui para a baixa da moeda americana. "As eleições poderiam contrariar essa tendência, deixando o dólar mais áspero devido à insegurança em relação ao próximo presidente, mas o mercado já parece estar calmo em relação tanto à Dilma quanto ao Serra, acostumado com estes possíveis governos", disse Pellegrini, citando os dois líderes nas pesquisas eleitorais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Caixa com cenouras de boa qualidade 100 DESPERDÍCIOS
Governo cria Rede de Bancos de Alimentos para combater desperdício
Ainda de acordo com a atualização, 567.369 pessoas estão em acompanhamento e outras 3.753.082 se recuperaram. PANDEMIA
Covid-19: Brasil acumula 4,4 milhões de casos e 134,9 mil mortes
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AUXILIO EMERGENCIAL
Caixa abre 770 agências amanhã das 8h às 12h
Apesar do esforço médico a adolescente não resistiu. DESCARGA FATAL
Adolescente segura extensão de energia e morre após sofrer descarga elétrica
Assaltante magro está com um revólver na mão direito e boné na esquerda TERROR NA RODOVIA
Vídeo mostra ação extremamente violenta de ladrões em Rodovia
As imagens mostram que a vítima estava prestes a sair de moto VIOLENCIA NA CIDADE
Homem é flagrado agredindo e tentando atropelar a ex; veja vídeo
Bolsonaro autorizou estudos para a área. PROGRAMA ASSISTENCIAL
Após desistir do Renda Brasil, Bolsonaro autoriza criação de novo programa social
Bolsonaro com Ricardo Barros APREENSÃO
Gaeco cumpre mandado em escritório de Ricardo Barros, lider do governo Bolsonaro na Câmara
presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) AGORA
Maia testa positivo para Covid-19, informa assessoria do deputado
 Joice Pastre, 27 anos, morreu na última sexta-feira (11) GESTO NOBRE
Família doa órgãos de jovem que sofreu aneurisma cerebral