Menu
BANNER IMPRESSORAS
terça, 16 de agosto de 2022
BANNER IMPRESSORAS
Busca
Brasil

Dólar deve continuar próximo a R$ 1,70, dizem analistas

18 Set 2010 - 10h00Por Terra
O dólar acumula sucessivas desvalorizações ante o real. Devido ao excesso de entrada de capitais no País, a moeda americana apresentou dez quedas consecutivas, sendo cotada a um valor próximo de R$ 1,70. Para quem pensa em viajar até o final do ano, a perspectiva é que a divisa continue neste patamar até o fim de 2010.

Economistas acreditam que a divisa americana deve seguir caindo devido à grande entrada de capital estrangeiro no Brasil e à capitalização da Petrobras, caso o Banco Central (BC) não interceda de forma mais abrupta. "O BC tem dado sinais de resistência à queda do dólar, está brigando para a moeda não cair mais, para não passar a barreira dos R$ 1,70", disse Marcos Tarabbold, gerente de operações da B&T Corretora.

"A questão é: até quando o Banco Central vai deixar a moeda cair? Ele já tem entrado no mercado para fazer compra de dólares no leilão à vista, e mais recentemente fez isso duas vezes ao dia, dando a entender que não quer que o dólar tenha cotação tão baixa", afirmou Felipe Pellegrini, gerente de operações da Confidence Corretora.

Apesar da possibilidade de intervenção do Banco Central, o dólar deve seguir depreciando-se ou mesmo mantendo este baixo nível perante o real, pois há muita entrada de capital estrangeiro no País.

"A tendência natural é de queda, pois há uma entrada muito grande de capital estrangeiro, que desvaloriza a moeda por uma questão de oferta e procura", afirmou Pellegrini.

Além das capitalizações, outros fatores também estão atraindo o investimento estrangeiro. "Há muito fluxo e excesso de entrada de dólares por conta das capitalizações e também da diferença de juros, pois em vez de deixar a moeda valorizando a 2% lá, pode deixá-la ganhando 10% aqui no Brasil", disse Marcos. Atualmente, o País possui a maior taxa de juros real (descontada a inflação) do mundo.

Além dos motivos diretamente financeiros e econômicos, a diminuição da preocupação do mercado em relação às eleições também contribui para a baixa da moeda americana. "As eleições poderiam contrariar essa tendência, deixando o dólar mais áspero devido à insegurança em relação ao próximo presidente, mas o mercado já parece estar calmo em relação tanto à Dilma quanto ao Serra, acostumado com estes possíveis governos", disse Pellegrini, citando os dois líderes nas pesquisas eleitorais.

Leia Também

MORADIA
Projeto cria programa para auxiliar professores na compra de casa própria
CARTÃO DE CRÉDITO
Um em cada três brasileiros foi vítima de fraude com cartão de crédito
ACIDENTE FATAL
Motociclista de 27 anos bate na traseira de trator e morre em vicinal
TRAGEDIA NA RODOVIA
Sete pessoas morrem e três ficam feridas em acidente entre caminhão e van
AUXILIO POPULAÇÃO
Governo libera empréstimo consignado para beneficiários do Auxílio Brasil
TRAGÉDIA
Carro explode durante abastecimento e amputa pernas de frentista
NOITE DE TERROR
Moradores relatam medo vivido em confronto com oito mortos
ACIDENTE DE TRABALHO FATAL
Trabalhador morre soterrado ao fazer limpeza em silo de grãos
AGRESSÃO NA ESCOLA
Mulher invade escola e espanca aluna a pauladas
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil ultrapassa o número de 680 mil mortos pela doença