Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 6 de maio de 2021
Busca
Brasil

Dólar deve continuar próximo a R$ 1,70, dizem analistas

18 Set 2010 - 10h00Por Terra
O dólar acumula sucessivas desvalorizações ante o real. Devido ao excesso de entrada de capitais no País, a moeda americana apresentou dez quedas consecutivas, sendo cotada a um valor próximo de R$ 1,70. Para quem pensa em viajar até o final do ano, a perspectiva é que a divisa continue neste patamar até o fim de 2010.

Economistas acreditam que a divisa americana deve seguir caindo devido à grande entrada de capital estrangeiro no Brasil e à capitalização da Petrobras, caso o Banco Central (BC) não interceda de forma mais abrupta. "O BC tem dado sinais de resistência à queda do dólar, está brigando para a moeda não cair mais, para não passar a barreira dos R$ 1,70", disse Marcos Tarabbold, gerente de operações da B&T Corretora.

"A questão é: até quando o Banco Central vai deixar a moeda cair? Ele já tem entrado no mercado para fazer compra de dólares no leilão à vista, e mais recentemente fez isso duas vezes ao dia, dando a entender que não quer que o dólar tenha cotação tão baixa", afirmou Felipe Pellegrini, gerente de operações da Confidence Corretora.

Apesar da possibilidade de intervenção do Banco Central, o dólar deve seguir depreciando-se ou mesmo mantendo este baixo nível perante o real, pois há muita entrada de capital estrangeiro no País.

"A tendência natural é de queda, pois há uma entrada muito grande de capital estrangeiro, que desvaloriza a moeda por uma questão de oferta e procura", afirmou Pellegrini.

Além das capitalizações, outros fatores também estão atraindo o investimento estrangeiro. "Há muito fluxo e excesso de entrada de dólares por conta das capitalizações e também da diferença de juros, pois em vez de deixar a moeda valorizando a 2% lá, pode deixá-la ganhando 10% aqui no Brasil", disse Marcos. Atualmente, o País possui a maior taxa de juros real (descontada a inflação) do mundo.

Além dos motivos diretamente financeiros e econômicos, a diminuição da preocupação do mercado em relação às eleições também contribui para a baixa da moeda americana. "As eleições poderiam contrariar essa tendência, deixando o dólar mais áspero devido à insegurança em relação ao próximo presidente, mas o mercado já parece estar calmo em relação tanto à Dilma quanto ao Serra, acostumado com estes possíveis governos", disse Pellegrini, citando os dois líderes nas pesquisas eleitorais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias
PÉSSIMA PROJEÇÃO
Covid-19: Brasil deve alcançar 575 mil mortes em 1º de agosto, diz instituto
SONHO INTERROMPIDO
Jovem perde noivo para a Covid-19 no dia do casamento: 'Nossos sonhos ficaram para trás'
PANDEMIA CORONAVIRUS
Triste número: Brasil ultrapassa 400 mil mortes por Covid-19
REVOLTA
Pastor zomba da fé dos indígenas Trukás que revoltados quebram templo em construção; veja o vídeo
VIOLAÇÃO
Vereador abre caixão para provar que idoso não morreu de covid; assista