Menu
SADER_FULL
segunda, 29 de novembro de 2021
Busca
Brasil

Dólar cai e fecha semana cotado a R$ 1,71

23 Out 2009 - 16h23Por Folha Online

O efeito "IOF" foi praticamente dissipado no mercado de câmbio na jornada desta sexta-feira. A expectativa de que o fluxo de recursos externo prossiga, apesar da nova taxação, derrubou as cotações apesar de nova intervenção do Banco Central (leilão de compra).

E nas últimas operações de hoje, o dólar comercial foi vendido por R$ 1,713, em um declínio de 0,69% sobre a cotação final de quinta. Os preços da moeda americana oscilaram entre R$ 1,721 e R$ 1,709. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo foi cotado por R$ 1,820, em baixa de 0,54%.

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) retrai 0,59%, aos 65.741 pontos. O giro financeiro é de R$ 4,34 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York sofre queda de 1,05%.

Petrobras, Tam e Vivo são algumas das empresas brasileiras que lançaram operações para captar recursos no exterior. Em paralelo, continuam os IPOs (oferta de ações) na Bolsa brasileira, a exemplo de Cetip e Brooksfield, o que historicamente tem atraído participação importante de investidores estrangeiros.

O Banco Central informou hoje que o volume de investimento estrangeiro no mercado financeiro doméstico foi o maior da série histórica, iniciada em 1947. O valor chega a US$ 8,762 bilhões em setembro, considerado as estatísticas até esta sexta-feira. No mesmo período, saíram do Brasil US$ 4,3 bilhões.

Somando as aplicações financeiras com a conta comercial (exportações e importações), o fluxo cambial é de US$ 13,66 bilhões no mês.

Juros futuros

O mercado de juros futuros, que regula o custo do dinheiro nos bancos, projetou taxas menores para operações de prazo mais longo.

Entre as principais notícias do dia, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontou inflação de 0,18% em outubro ante 0,19% em setembro, pela leitura do IPCA-15, prévia da inflação oficial. Analistas esperavam variação em torno de 0,28%.

No contrato que aponta as taxas para janeiro de 2010, a taxa prevista caiu de 8,66% ao ano para 8,65%; e no contrato de janeiro de 2011, a taxa projetada passou de 10,28% para 10,24%. Essas taxas são preliminares e ainda podem sofrer ajustes.

Leia Também

COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 9,2 mil novos casos
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid-19: Brasil registra 303 mortes e 12.126 casos em 24 horas
DESESPERO
Vídeo: veja momento em que calçada cede e pessoas caem em rio
PÂNICO NO AEROPORTO
Vídeo mostra passageiros gritando e muito desespero em avião da Azul; veja
EMBOSCADA
Jovem morre após ser atingida por tiro na cabeça
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid -19 casos sobem para 22,043 milhões e mortes, para 613,3 mil
ESTUPRO DE VUNERALVEL
Menina de 11 anos conta para avô que é estuprada pelo padrasto
CRUELDADE
Justiça nega exame de insanidade a mulher que esquartejou filho
MANIACO SEXUAL
Homem é filmado passando a mão em mulher no meio da rua
+ AUMENTO
Conta de luz deve subir mais de 20% no ano que vem, estima ANEEL