Menu
SADER_FULL
terça, 22 de junho de 2021
Busca
Brasil

Divulgada pesquisa de preços dos materiais escolares em Dourados

11 Jan 2010 - 17h36Por Assessoria

Faltando menos de um mês para o inicio do ano letivo, pais de alunos já se preparam para comprar o material escolar. O PROCON realizou entre os dias 07 e 08 de janeiro, uma pesquisa de preços envolvendo nove papelarias com análise de 74 itens.


O órgão de defesa e proteção do consumidor teve como base listas de materiais escolares  fornecidos pelas instituições de ensino da rede pública e privada do município. Com o levantamento, foi constatada uma grande variação de preço, obtendo uma média de 160% entre os estabelecimentos. 


Entre os itens analisados que tiveram uma diferença considerável está o apontador de lápis simples sem deposito, variando de R$ 0,05 a R$ 0,35, mais de 600%. O mesmo ocorreu com a lapiseira, podendo ser encontrada de R$ 0,50 a R$ 3,30, com diferença de 561% e o fichário sem divisórias que pode ser encontrado de R$ 3,99 a R$ 26,00, com variação de 552%.

Os preços dos produtos podem ter variações consideráveis de um estabelecimento para outro, inclusive durante as promoções. “O consumidor deve fazer uma pesquisa em vários estabelecimentos, negociar descontos e prazos para pagamento. A compra em conjunto pode facilitar as negociações”, ressaltou o Diretor do Procon de Dourados, Rosemar Mattos Souza.

LISTA DE MATERIAL ESCOLAR

Em Dourados vigora a lei nº. 2.617 de 25 de novembro de 2003, que proíbe as escolas de pedirem materiais de uso comum, como produtos de higiene e limpeza. Além disso, as instituições de ensino são proibidas de indicarem determinados estabelecimentos comerciais para os pais, como forma de favorecer esta ou aquela empresa.

O Procon alerta ainda que o material pode ser entregue em parcelas e que os pais devem fiscalizar a utilização até o fim do ano letivo. No caso de sobra, os pais podem requerer parte do material. Entre os materiais que não fazem parte dos pedidos pela escola estão: álcool hidrogenado, estêncil, papel ofício (230x330), algodão, fitas decorativas, bolas de sopro, canetas para lousa, giz branco e colorido, copos descartáveis, grampeador, grampos, creme dental, lenços e pratos descartáveis, disquetes, CD’s, medicamentos, sabonetes, esponja para pratos, papel convite, tonner e fita para impressora.

Segundo Rosemar, diretor do órgão, o PROCON notificou os estabelecimentos que emitiram lista em desacordo com a lei Municipal para se adequarem imediatamente. Qualquer irregularidade em relação à lista e valores de materiais escolares os pais devem procurar o Procon, localizado na Rua Joaquim Teixeira Alves, 772, ou através do telefone 3423-1184 e 151.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Policial
Criança de 6 anos sofre trauma de crânio após cair de atração no Beto Carrero World
DOSE ÚNICA
Avião com 1,5 milhão de doses da Janssen chega amanhã, diz ministro
REAÇÃO CERTEIRA
Mulher flagra filha sofrendo estupro e esfaqueia pedófilo
VIOLENCIA DOMESTICA
Menina de 12 anos furta bisavô e leva 10 chibatadas da mãe por ordem do CV
MILIONÁRIO
Aposta única fatura prêmio de R$ 7 milhões da Mega-Sena
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa paga hoje 3ª parcela do auxílio emergencial para nascidos em março
LUTO NA MÚSICA
Cantora gospel que defendia tratamento precoce morre de Covid-19 após ter os pulmões comprometidos
VIDEO
Cliente carrega mangueira sem perceber e bomba pega fogo em posto de combustível de Foz do Iguaçu
AÇÕES DO GOVERNO MS
Reinaldo Azambuja propõe projeto com Itaipu para combater assoreamento nos rios Iguatemi e Amambai
COPA X VIRUS
'Desse jeito, o vírus vai levantar a taça', diz deputado após 52 infectados na Copa América