Menu
SADER_FULL
quinta, 21 de outubro de 2021
Busca
Brasil

Dívida rural no setor privado é de R$ 6bi e compromete safra

5 Set 2006 - 13h09

O endividamento do setor agrícola com produtores de fertilizantes, defensivos, sementes e trandings atualmente está na casa dos R$ 6,1 bilhões. O cálculo é resultado de um estudo feito pela Agroconsult, consultoria especializada em pesquisas da atividade do agronegócio, por encomenda da Anda (Associação Nacional para Difusão de Adubos). Entre os Estado em pior condição estão o Mato Grosso do Sul, Goiás e Rio Grande do Sul.

“O problema é grave e, ao contrário de que diz o governo, não está equacionado”, diz George Wagner Bonifácio de Sousa, vice-presidente da ANDA e presidente da Ama (Associação dos Misturadores de Adubos), enfatizando que o nível de estrangulamento financeiro do produtor pode comprometer a próxima safra. “Tudo se encaminha para uma catástrofe”, completa.

De acordo com André Pessoa, diretor da Agroconsult e autor do estudo, o endividamento está concentrado especialmente na soja e afeta mais os produtores dos estados de Mato Grosso do Sul, Goiás e Rio Grande do Sul. Em razão dessa dívida, a ANDA já reviu sua estimativa para o próximo ano – o consumo de adubo, que na safra 2004/2005 foi de 20 milhões de toneladas, deve recuar para 19,2 milhões na próxima.

“Resumidamente, as principais causas que resultaram nesse endividamento foram: defasagem cambial, ferrugem na soja e os dois anos de sérios problemas climáticos que afetaram, sobretudo o Rio Grande do Sul”, analisa Eduardo Daher, diretor executivo da ANDA.

O que deixa as lideranças dos segmentos de adubos, sementes e defensivos ainda mais angustiadas é que a esse endividamento com o setor privado, os produtores acumulam ainda a dívida de custeio – estimada pela Agroconsult em cerca de R$ 6,7 bilhões –, e cuja renegociação está atualmente em análise pelos bancos oficiais. Os bancos determinaram o prazo de 30 de setembro para dar uma resposta se as dívidas serão ou não renegociadas.

“A indústria de adubos está numa situação muito crítica, pois essa atividade não pode ficar na dependência de saber se vai ou não ter como receber para começar a entregar o produto que adubará a próxima safra. Nossa atividade demanda uma logística muito bem planejada para que o adubo chegue na lavoura no tempo certo”, desabafa George Wagner, da AMA.

O que as lideranças do segmento reivindicam é uma maior agilidade do governo no equacionamento do problema. Até agora, segundo George Wagner, essa agilidade não tem ocorrido. Ele informa que dos R$ 4 bilhões que o governo anunciou como aporte de recurso do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) para o segmento no último pacote agrícola, até a semana passada, apenas R$ 600 milhões haviam efetivamente sido liberados. Esse dado foi apresentado, na semana passada, pela direção da ANDA ao Ministro da Agricultura, Luis Carlos Guedes Pinto. “O que o setor necessita é menos discurso”, diz Pessoa.

Passada essa situação emergencial, o consultor da Agroconsult salienta que três providências são decisivas para equacionar de vez o problema de financiamento do setor agrícola. As providências são: equacionar de vez uma subvenção de prêmio de um seguro agrícola; criar um fundo de catástrofe efetivo e que tenha aporte de recursos suficiente para o porte da agricultura brasileira – coisa de R$ 4 bilhões, segundo seus cálculos – e cuidar dos graves problemas de infra-estrutura (portos, ferrovias, rodovias, etc) que ainda agravam ainda mais o setor.

Além disso, segundo Pessoa, é necessária a criação de um modelo de financiamento para o setor que passe por soluções como hedge e uma desburocratização na liberação de recursos que já existem. “O que a cadeia do agronegócio precisa é ser valorizada enquanto principal sustentáculo do crescimento econômico do País nos últimos anos”, enfatiza George Wagner. Nesse sentido, o primeiro ponto é o governo reconhecer que o problema do endividamento existe, que é grave e que necessita ser enfrentado de frente.

 

 

 

Mídia Max

Leia Também

VOLTOU A SUBIR
Covid-19: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas
ESTAVA DESAPARECIDO
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré
LIÇÕES DA BÍBLIA
O principal mandamento
BAIXARAM A GUARDA
Covid-19: Brasil registra 390 mortes e 12,9 mil casos em 24 horas
LIÇÕES DA BÍBLIA
Se me amam, guardarão os Meus mandamentos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab está com 655 vagas para indígenas interessados em trabalhar em lavouras de maçã em SC e RS
ALERTA TEMPORAIS
Chance de Tempestades (La Ninã) no final do ano é de 87%, aponta atualização do NOAA
LIÇÕES DA BÍBLIA
Ele nos amou primeiro
AUXILIO EMERGENCIAL
Presidente está de acordo a prorrogação do auxílio emergencial
TRAGICO ACIDENTE
Menino de 9 anos morre enforcado com corda de balanço