Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 26 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Disparada de mortes no trânsito é resultado da velocidade, diz Agetran

26 Mai 2011 - 09h46Por Campo Grande News

As 11 mortes no trânsito de Campo Grande em apenas 15 dias é resultado do que é visto diariamente nas ruas: o excesso de velocidade. Este fator aliado à ingestão de álcool, infraestrutura, condutores jovens, fiscalização e falta de cortesia fazem da Capital um dos municípios mais violentos quando o assunto é direção de veículos.

Para quem trabalha diretamente com a questão, o que falta é ética aos motoristas

A constatação é do Gabinete de Gestão Integrada de Trânsito, responsável por estudar as ocorrências fatais e que resultam em vítimas graves.

”Se as pessoas não tivessem em alta velocidade, o acidente teria ocorrido, mas não teria mortes”, diz Ivanise Rotta, Chefe da Divisão de Educação da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), que integra o Gabinete, responsável pelo projeto “Vida no Trânsito”.

De acordo com Ivanise, análise da estatística feita por amostragem com dados de acidentes ocorridos no quarto trimestre do ano passado mostra que, apesar do motorista agir com imprudência, ele não é apenas o responsável.

“A culpa não é só do comportamento do motorista. As vias contribuem. São largas, planas, sem obstáculos”. “É um convite para a pessoa acelerar”, declara Ivanise.

O Gabinete, composto por representantes de vários órgãos públicos, constatou também que é preciso mais fiscalização. “Eletrônica, de policiais, de agentes de trânsito”.

“O motorista se sente livre para transgredir às regras”, quando não há fiscalização, afirma a educadora em trânsito. “A obrigação de sinalizar, conscientizar e sensibilizar é do poder público”, lembra Ivanise. Segundo ela, estão programadas 270 blitze neste ano na Capital.

Impunidade - O pensamento de que vai “acabar em pizza” também contribuiu para que o condutor não obedeça às leis, esquecendo de que ele não está sozinho no trânsito.

E quando há a combinação álcool e direção, “o condutor se sente livre para transgredir as regras”, declara Ivanise.

Cortesia- “O condutor precisa ter ética”, afirma a educadora. O que percebe-se diariamente nas vias da Capital é que o motorista “sobrepõe o individual ao respeito do outrem”, fala Ivanise.

Ela lembra o que deveria estar presente na rotina de todos que conduzem veículos. “Praticar direção defensiva. Você fazer o certo para, quando for necessário, consertar o erro do outro”.

A educadora diz ainda que é preciso também que todos se concentrem no trânsito e saiam mais cedo de casa. “Tem que lembrar que o trajeto que há cinco anos se fazia em 10 minutos, hoje mudou. O tempo é maior. E a tendência é piorar”, conclui.

Veja vídeo de campanha contra o abuso da velocidade:

Deixe seu Comentário

Leia Também

GANGUE DO TIJOLO
Menores entre 13 e 17 anos formam bando e fazem 'arrastão'; veja vídeo
LUZ DO DIA
Empresário é executado com três tiros dentro de carro
SELFIE DA MORTE
Professora tenta tirar selfie e morre afogada ao cair no mar
tratamento precoce prefeito curitiba 100 TRATAMENTO
"Estão no Cemitério", diz prefeito de Curitiba sobre pessoas que usaram tratamento precoce Covid-19
A CASA CAIU
Mulher invade casa e flagra namorado fazendo sexo com outra; veja vídeo
LINHA DE FRENTE
'Ele lutou até o final', diz irmã de médico de 28 anos, após quase um mês morreu de Covid-19
SEU BOLSO
Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Na calada da noite, namorado da avó estupra criança de 12 anos e é espancado por vizinhos
CONCURSO PÚBLICO
Concurso da Aeronáutica somam com as 21 mil vagas em outros concursos que a semana oferece
DEU RUIM
Jovem é atingido por raio enquanto usava celular no banheiro