Menu
SADER_FULL
domingo, 29 de março de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
POLONIO IMÓVEIS
Brasil

Diretor da McLaren admite largar a Fórmula 1

13 Jul 2004 - 14h17
O atual projetista e diretor técnico da McLaren, Adrian Newey, admitiu à rede de TV BBC que pode deixar a Fórmula 1 em 2005. Considerado um dos projetistas que melhor usa a aerodinâmica, Newey estaria desgastado na McLaren, após o difícil processo de construção dos últimos modelos.
O MP4/18, apresentado no meio de 2003, nem chegou a competir e o MP4/19 apresentou diversos problemas na primeira metade do campeonato de 2004. Somente após o lançamento do MP4/19B, a equipe reagiu.
"Meu contrato com a McLaren vai até 31 de julho de 2005. Portanto, serei o diretor técnico até esta data. Mas depois disso, teremos de esperar para saber o que vai acontecer. Honestamente, não ainda não tomei nenhuma decisão. No momento, estou trabalhando no carro para a próxima temporada. Depois disso, irei pensar na vida", afirmou Newey, projetista dos carros campeões mundiais de 1992, 1993, 1996 e 1997 (Williams), e 1998 e 1999 (McLaren).
 
Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

FÁTIMA DO SUL - ATENÇÃO COMÉRCIO
Em novo Decreto, confira o que vai poder abrir e permanecer fechando nesta segunda em Fátima do Sul
CORONAVÍRUS NO BRASIL
Justiça suspende trecho decreto de Bolsonaro que livra igrejas de quarentena
CORONAVÍRUS NO BRASIL
Senado votará na segunda auxílio de R$ 600 para trabalhadores
TRABALHO VOLUNTÁRIO
Detentas começam confeccionar máscara de proteção para atender Jateí, Vicentina e Fátima do Sul
COVID-19 NO BRASIL
Brasil tem 92 mortes e 3.417 casos confirmados de novo coronavírus, diz Ministério da Saúde
PANDEMIA CORONAVIROS
São Paulo tem 68 mortos por coronavírus, média de uma a cada 2 horas e 20 minutos, e 1.223 casos
LINHA DE CRÉDITO
Governo lança pacote de R$ 40 bi para socorrer pequenas e médias empresas
AMOR AO PROXIMO
Xuxa vai doar R$ 1 milhão ao SUS para combate ao coronavírus
77 MORTOS
Casos de coronavírus no Brasil em 27 de março
REFORÇO
Câmara aprova projeto que prevê R$ 600 por mês ao trabalhador informal por conta do coronavírus