Menu
SADER_FULL
sexta, 21 de janeiro de 2022
Busca
Brasil

Desigualdade cai 9% no país em dez anos, diz IBGE

5 Nov 2009 - 17h52Por G1

A desigualdade no país caiu em todas as regiões, mostram dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice de Gini do rendimento mensal dos domicílios brasileiros passou de 0,521, em 2007, para 0,515, em 2008 – em 1998, quando começou a série histórica, o número era de 0,567.

O índice de Gini varia de 0 a 1 e mede a distribuição da renda na população: quando mais próximo de 0, maior a igualdade; quanto mais próximo de 1, maior a desigualdade entre o que as pessoas ganham. A evolução entre 1998 e 2008 mostra, portanto, uma queda de 9,17%.
 

A desigualdade caiu em todas as regiões entre 2007 e 2008. A maior desigualdade está no Centro-Oeste, onde o índice de Gini foi de 0,549, em 2008, ante 0,552, em 2007. A região mais igualitária é a Sul, com 0,477, em 2008, abaixo dos 0,498, em 2007.


A maior queda foi registrada na região Norte, de 0,498, em 2007, para 0,478, no ano passado. No Nordeste, o índice de Gini passou de 0,528 para 0,525 de um ano para o outro. Já no Sudeste a queda foi de 0,498, em 2007, para 0,492, em 2008.

Rendimento

Apesar da redução, porém, alguns dados mostram a dimensão da desigualdade que ainda existe no país. No ano passado, segundo dados da Pnad, 52% das famílias tinham renda mensal por pessoa de até um salário mínimo.
 

São 5,9 milhões de famílias que não têm nenhum rendimento ou ganham até um quarto de salário mínimo, que hoje equivale a pouco mais de R$ 116.


De acordo com o IBGE, os 10% dos trabalhadores com os rendimentos mais baixos ganharam 1,2% do total da renda em 2008, número que era 1,1% em 2007. Já os 10% com os maiores rendimentos concentram 42,7% do total da renda, uma queda em relação aos 43,3% em 2007.


O IBGE destaca que o rendimento subiu para todas as faixas de renda da população, mas subiu mais nas faixas mais baixas. Por exemplo, entre os 10% que têm os rendimentos mais altos, eles subiram 0,3%; entre os 10% que têm os rendimentos mais baixos, a alta foi de 4,3%.

Leia Também

ALARMANTE
Brasil bate recorde de casos diários de covid-19 com 204,8 mil
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab ainda tem 916 vagas para indígenas trabalharem nas lavouras de maçãs em SC e RS
BAIXA RENDA
Auxílio Gás: governo libera o pagamento no valor de R$ 52
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil tem um aumento e registra 351 mortes em 24 horas
OMICRON
Brasil dobra contágio nas 24h e registra 74,1 mil novos casos de covid-19 e 121 mortes
LIÇÕES DA BIBLIA
Carne e Sangue como nós
ABUSO SEXUAL
Meninas escutam mãe contando de abuso sexual e fazem relato chocante sobre tio-avô
COVID NO BRASIL
Em 24 horas, foram confirmados pelas autoridades sanitárias 24.934 novos casos de Covid-19
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Jovem morre após ser atingido por avião agrícola pilotado pelo pai
TEMPORAL - VIDEO
Forte chuva derruba árvores e deixa 23 mil pessoas sem energia